Terceirizar serviços de TI não é bicho de sete cabecas

Nova Escola de Marketing
22 de julho de 2006

Para acompanhar o movimento de outsourcing, o mercado pede que o profissional agora terceirizado se conscientize da importância do relacionamento com o cliente e de sua função de vender os serviços com qualidade e eficácia.

Mobilidade, segurança da informação e a convergência digital são as principais vertentes de negócio em Tecnologia da Informação (TI) neste ano. Em relação aos serviços, o outsourcing desponta como a principal novidade. A terceirização do setor de TI deixou de ser apenas uma forma de reduzir custos, para se tornar uma ferramenta que visa a melhoria dos processos da empresa, buscando tornar a corporação mais eficaz e ágil.

Com o alto e rápido crescimento do mercado de outsourcing, os profissionais da área devem estar preparados para as novidades do setor e buscar aprimorar os seus conhecimentos, tanto sobre hardwares e suas evoluções, quanto sobre os melhores softwares. O aprendizado trará um diferencial aos profissionais que o buscarem, já que além de trazer uma boa imagem ao cliente – que vê o serviço sendo feito por alguém que realmente sabe o que está fazendo – garante a permanência do profissional neste mercado.

Por serem certificados com um prazo de formação reduzido e habilitação profissional para o mercado de trabalho mais cedo, a busca de conhecimento pelos prestadores de serviços em outsourcing deve aquecer o mercado de certificações profissionais das grandes empresas de software e hardware.

Além dos conhecimentos técnicos, será fundamental para que o mercado continue crescendo, a conscientização dos profissionais da importância do relacionamento com o cliente e função dele em vender os serviços com qualidade e eficácia.

O primeiro passo é pensar em como é possível demonstrar para o cliente o quanto é importante e qual é a real necessidade das empresas protegerem o principal patrimônio que têm: a informação. Nessa direção, já deram alguns passos as empresas que prestam serviços de treinamento a seus profissionais em metodologias e ferramentas de gerenciamento, mas a maioria ainda não tem uma forma eficaz de mensurar seus próprios resultados.

Novo perfil profissional

Outro fator importante é fazer com que os profissionais de TI, que migraram de suas empresas para as prestadoras de serviços terceirizados, se acostumem a um novo ritmo: agilidade e eficácia se tornam essenciais, assim como a transparência no que vai ser feito e a comunicação com os usuários no dia-a-dia. A cobrança é muito maior e os resultados devem ser muito melhores.

Por fim, o setor de outsourcing em geral, do gerente de projeto ao assistente de help-desk, todos devem pensar em como é possível vender os serviços. O marketing de relacionamento aqui se torna essencial. As vantagens oferecidas pelo serviço terceirizado são bastante conhecidas e difundidas entre os profissionais da área: existe maior evolução da área de TI, além de uma maior previsibilidade nos custos; o investimento em TI, desde o treinamento técnico da equipe até o investimento em hardwares e softwares, passam a ser menores; existe também uma flexibilidade de contrato; e a garantia do serviço prestado com mais eficiência.

As empresas nem sempre se apercebem dessas vantagens. Cabe aos prestadores de serviços passar essas informações, demonstrar que é possível mensurar o valor desses serviços, demonstrar os resultados para o cliente, agregando valores como ética, confiança e parceria, que são fatores-chave para o sucesso nesse mercado. A terceirização completa de toda a área de TI já é uma realidade em várias empresas, com grandes vantagens. O outsourcing em TI hoje, pode sim, ser considerado um ótimo investimento para as empresas que buscam um diferencial competitivo.

Não há razão para restrições à terceirização do setor de tecnologia. O receio de perder o controle sobre a segurança das informações estratégicas está sendo deixado de lado. Acompanhar as novas tecnologias e saber aplicá-las no foco do core business na empresa, deixou de ser um bicho de sete cabeças. [Webinsider]

Testo escrito em parceria com o publicitário Sérgio Carvalho

Avalie este artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

2 respostas para “Terceirizar serviços de TI não é bicho de sete cabecas”

  1. Adriano disse:

    Tenho que concordar com o amigo Rodrigo, a varios anos venho verificando e participando da tercerização da area de sistemas, e o que mais tenho visto é a qualidade do serviço cair, isto por varios motivos, o 1º são as empresas/consultorias que contratam profissionais sem esperiencia e os repassa para as contratantes como sendo profissionais de alto gabarito, 2º profissionais sem o minimo vinculo com as empresas, e que não se esforçam para realizar um trabalho bem feito, pois num futuro breve quando os problemas aparecerem, estes não estaram mais lá para resolver, 3º Toda e qualquer manutentação/alteração que o sistema venha a ter num futuro, será realizada por pessoas que não conhecem o produto, sendo assim o custo da manutenção aumenta e na maioria das vezes não é realizada da menhor forma. Podemos incluir muitos outros motivos para a qualidade do serviço ter diminuido, mas nos exemplos citados fica claro que somente os donos de consultorias é que saem ganhando.

  2. rodrigo saraiva disse:

    Um texto muito bonito, ainda mais sendo escrito por um diretor de outsourcing em parceria com um ótimo publicitário.
    O que não se comenta a respeito do outsourcing é sobre os malefícios que o mesmo traz para o mercado de trabalho de TI, não tão aparentes no momento.
    A quantidade enorme de profissionais pulando de galho em galho, por dois ou três reais a mais em seu valor hora, deixando de agregar valor a sua experiência ou agregar valor para a empresa. A instabilidade de um trabalho fixo, pois os profissionais tem que se sujeitar a trabalhar em projetos de curto prazo, e não sabem se depois de seis meses conseguiram algo novamente.
    O inchaço das equipes de projeto para proporcionar lucros maiores para empresas de outsourcing, o que geralmente acarreta falha no gerenciamento de recursos e consequentemente atrasos e falhas nos projetos.
    Mas vou resumir apenas nisso, se precisarem posso escrever uma matéria real sobre outsourcing…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *