DTV e HDTV, a TV digital

Nova Escola de Marketing
17 de julho de 2008

Entenda melhor os jargões de áudio e vídeo (7): a DTV brasileira criou uma expectativa positiva para a substituição do sinal do ar de má qualidade. Há diversos parâmetros envolvidos.

Mal o Brasil entra na era da televisão digital (DTV ou digital television, para os íntimos), e o acrônimo HDTV ganha força na mídia, e quem sabe um dia também na boca do povo. Mas, HDTV, que significa High Definition TeleVision, a rigor deveria se chamar TVAD ou TeleVisão de Alta Definição.

Só que, mais uma vez, o acrônimo em língua inglesa irá ter prevalência, assim como outros acrônimos e termos oriundos da informática, tais como PC (de personal computer) ou HD (hard disk). E por que não incluir também o termo home theater, que até hoje nunca teve tradução?

Na prática tudo isso pouco importa; o que realmente conta é que estamos diante de alguma coisa nova que já pode ser vista, mas pouco compreendida, em função da enorme complexidade que o termo HDTV representa.

A imagem de alta definição comporta atualmente os sinais de 720p (720 linhas de resolução vertical, em varredura progressiva com 1280 pixels cada uma), 1080i e 1080p (1080 linhas de resolução vertical, com 1920 pixels cada uma, em varredura entrelaçada e progressiva, respectivamente), mas a DTV chega, no máximo, a 1080i, e isso já é muito.

Note-se que o vídeo digital por excelência traduz-se pela varredura progressiva (todo o quadro da imagem é montado em seqüência), mas a origem analógica da HDTV é mostrada com o sinal de 1080i, ainda oriundo da tecnologia do tubo de imagem (CRT).

Se a tela do usuário for moderna, é possível que a imagem de 1080i seja convertida para algum sinal progressivo, de qualquer maneira. Na realidade, uma série de outras conversões vai ter que ocorrer, à revelia do usuário e de forma absolutamente transparente.

Em função disso, o termo HDTV deveria se referir principalmente à alta qualidade que a imagem de vídeo poderia alcançar, de preferência com o melhor áudio possível ao seu lado. Mas, para que isso se transforme em realidade, não basta uma emissora instalar câmeras HD no estúdio e sair gravando a fonte automaticamente. Este processo pode até dar um resultado que impressione as platéias, mas ele não reflete necessariamente o potencial que o sinal de HDTV pode mostrar.

E a explicação para isso é mais simples do que se imagina: em primeiro lugar, quando se trata de capturar uma imagem qualquer, uma série de parâmetros importantes entra em jogo: luz ambiente, cor, lentes, etc. O leitor mesmo pode fazer um simples teste, uma vez munido de uma câmera fotográfica digital decente: basta tentar fazer fotos em diferentes horários do dia, quando então notará que a cor varia de acordo com a luz incidente na foto. Por causa disso muitas câmeras à venda hoje em dia possuem programas para compensar essas diferenças.

Em um estúdio ou em tomadas em locação (por exemplo, ao ar livre) a iluminação é peça-chave para evitar problemas – e mesmo assim hoje em dia o processamento digital de imagens ainda poderá passar por pós-processamento, para evitar distorções de cor do material capturado. Por causa disso, um exército de novos especialistas técnicos é necessário, pessoas que sejam capazes de pós-processar este material de forma competente. Para isso existem os cursos de formação de pessoal na área, que, neste caso, não podem ser negligenciados, caso se tenha um mínimo de preocupação com a qualidade final do programa a ser transmitido.

Na história do cinema podem ser observados exemplos de cineastas que têm preferências por controle absoluto de iluminação de cena, como foi o caso de Alfred Hitchcock, que detestava filmagens em locação. Ou diretores como John Ford, ao contrário, que detestava estúdios e procurava sempre filmagens ao ar livre, sem quase ou nenhuma preocupação com a iluminação. É claro que ele dependia das habilidades do seu diretor de fotografia para fazer tudo funcionar de acordo com as intenções do roteiro, por isso até hoje ninguém pode ser queixar de falhas de estética ou iluminação nos seus filmes.

No caso específico do broadcasting brasileiro, se me permitem a ilação, os resultados são imprevisíveis. Existem aqueles profissionais com enorme preocupação com a qualidade final do produto gravado, mas existem outros que têm uma tendência mórbida em achar que o público aqui assiste qualquer coisa. Basta olhar os programas atuais de auditório, em várias emissoras, para se constatar o descaso com a qualidade de imagem.

Desnecessário dizer que, se com uma imagem standard a coisa fica feia, com alta definição ela ficará insuportável. Ou seja, com o advento da HDTV, ou essas emissoras tomam jeito, ou irão naufragar no mar de descontentamento daqueles que irão investir pesado num sistema HDTV, sem ver retorno nenhum que justifique este investimento.

Existe ainda um segundo outro aspecto da DTV que é bastante provável ter enorme influência sobre a HDTV: com a transmissão digital vem junto uma decisão, às vezes política, da maneira de se fazer uso das bandas de transmissão: a primeira hipótese seria usar a maior faixa para HDTV e o restante para sinais standard; a segunda seria abdicar da HDTV, para aumentar a oferta em resolução standard.

Aqui, essas duas vertentes poderão tomar caminhos diametralmente opostos.

O sinal digital para a transmissão é comprimido por um codec tipo MPEG-2 e no caso brasileiro, por H.264. A compressão implica em bit-rate variável, e quanto maior o seu valor menor será a compressão necessária e melhor a qualidade da imagem.

Na tentação de comprimir sinal, na mesma banda passante, é possível que haja um sacrifício significativo do sinal de melhor qualidade, para sobrar espaço para o de menor qualidade. Se isso acontecer, pouco irá importar a qualidade do sinal da fonte, porque vai ficar tudo nivelado por baixo! Não pense o leitor que o simples fato do sistema brasileiro de DTV operar com compressão por H.264 isso vai significar a inexistência dos efeitos da compressão de sinal sobre a qualidade do mesmo.

Todos os codecs, mesmo os mais modernos e eficientes, têm limitações que transcendem os seus méritos de suportar uma maior compressão. A maior evidência disso é o que a gente percebe nos discos Blu-Ray, onde MPEG-2 e H.264 se nivelam em qualidade ou em relativa falta de. Aliás, houve uma época em que se fazia críticas ao Blu-Ray por permitir o ingresso do MPEG-2 HD nos discos, que isso depunha contra o formato e outras baboseiras do gênero, mas o tempo mostrou que discos Blu-Ray autorados com MPEG-2 de forma cuidadosa mostraram imagens de excelente nível.

No que se refere à reprodução da cor, o conceito de compressão de sinal também se aplica, e o objetivo, para variar, é economizar espaço de memória.

A compressão do sinal de cor é possível, porque o olho humano reage muito mais às variações de luminância (variação da intensidade luminosa) do que a cada cor individualmente. Assim, o MPEG-2 do DVD, por exemplo, transmite cor por vídeo componente, onde Y (luminância), Cb (crominância do azul) e Cr (crominância do vermelho) estão na proporção de bits 4:2:2. No caso, o H.264 é capaz de suportar YCbCr na proporção de 4:2:0.

A fidelidade de cores (capacidade de se reproduzir tons ou gradações de cor) varia enormemente de uma fonte de sinal para outra. Com a alta definição se deve esperar uma maior fidelidade de gama de cores do que no sinal de TV convencional, mas somente a decisão de comprimir sinal para transmissão em maior ou menor proporção é que irá demonstrar se a cor será afetada.

Se alguém aqui acha que eu estou exagerando com esta estória de compressão de sinal, é porque não conheceu o som das emissoras de FM, quando o FM estéreo começou no Brasil: o som era limpo, com pouca compressão de dinâmica. Motivo: eram poucas emissoras no ar! Com o tempo, o Dentel (que era a Anatel daquela época) mandou as emissoras instalarem compressores de sinal, o que permitiu colar uma emissora na traseira da outra. O resultado imediato foi a perda de qualidade do sinal de áudio, com uma notória ausência da dinâmica original da música reproduzida.

Eu ainda não sei (e se o leitor já sabe, por favor, escreva aí embaixo) qual dessas duas vertentes de exploração de espaço de sinal irá prevalecer no sinal transmitido pelas emissoras. Mesmo não sendo nenhum adepto fervoroso da TV aberta, exceto para telejornais e esporte, eu sinceramente espero que a HDTV não siga o mesmo caminho da FM estéreo.

A DTV brasileira criou uma expectativa positiva de substituição do sinal do ar de má qualidade, motivo, aliás, pelo qual muitas pessoas fazem assinatura de sinais de televisão por satélite ou cabo. No caso, a DTV não precisa necessariamente transmitir HDTV para um grande número de pessoas, ou sinal de áudio multicanal 5.1. E tentar vender esta idéia para quem não tem e nem vai ter uma instalação de home theater a curto prazo é pura demagogia. [Webinsider]

.

Avalie este artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

88 respostas para “DTV e HDTV, a TV digital”

  1. Uales Marques da Silva disse:

    Sou um leigo igual a muitos. Em tecnologia
    desse nivel,transmição de sinal,desenvolvimento de software,produção de aparelhos modernos e etc.
    Mas somente a nivel de elogio da gosto de ler
    artigos igual a este explicado por seres humanos que pôde dedicar suas vidas ao estudo.E assim eu que ainda nao tive a oportunidade de me graduar, sinto o gostinho
    atravéz da complexa explicação de estar em uma sala de aula.

    • Oi, Uales,

      O ideal seria que a tecnologia estivesse ao alcance de todos. Mesmo dentro da sala de aula às vezes nem sempre é possível passar todo o conhecimento que se tem. Eu espero que todos os textos lhe sejam úteis, e que você possa assimilar o máximo que puder. Se você enfrentar dificuldades, não desanime, porque nem o sábio aprende tudo em um dia!

  2. Paulo Roberto Elias disse:

    Olá, Valdir,

    Você tem razão quando comenta que hoje é preciso a pessoa se escolar para comprar uma TV. Talvez seja o preço do progresso, mas repare que não é a TV que exige empenho: toda a microeletrônica caminhou a passos largos nesta direção. Por exemplo, hoje se compra um telefone celular e a gente leva um ano lendo o manual, só para saber o que tem lá dentro, não é não?

    Sobre o defeito da TV, não creio que ele tenha sido causado pela entrada múltipla de sinais, mas pela fragilidade ou erros de projeto dos componentes da mesma. Existe, como sempre, chance de descarga elétrica por antena convencional externa, mas é possível se instalar uma antena prevendo-se uma ligação da malha à terra, minimizando efeitos de raios dentro do possível. Só que para isso funcionar direito a gente precisa ter um terra decente em casa, coisa que as companhias de fornecimento de energia não te dão, ou seja, você precisa fazer ou contratar um eletricista para fazê-lo. Em última análise, existem equipamentos que simulam terra, mas eu não tenho experiência para falar disso como devia.

    Se o sinal digital está presente onde você mora e a TV não consegue sintonizá-lo, você pode adquirir um conversor externo e ligá-lo à TV por HDMI ou vídeo componente + áudio, que o resultado é praticamente o mesmo, em termos de alta definição.

  3. valdir carvalho disse:

    Paulo
    Parabéns, INVESTI alguns minutos para adquirir conhecimento.
    Mas na minha busca sobre as tantas indicações que ixistem no mercado, vejo que é como escreveu a Alayr, não é mais comum ir à uma loja e adquirir uma TV. Antes se comprava uam COLORADO, se colocava um plástico colorido na frente e se imaginava uma TV à cores, hoje, tá brabo o negócio, e cada dia dia fica mais difícil escolher uma tv sem antes fazer um cursinho para ver se passa neste vestibular. Mas voltando às minhas necessidades, penso que devo ir de FULL HD e LCD, custo benefício.
    Me tira uma dúvida:
    Me queimou a placa TECOM da LCD 26″, poderia ter ocorrido dado a ter muitos sinais entrando na TV, tipo parabólica, Skay, UHF e um coversor paralelo? Já que aqui entrou o sinal digital e a TV não faz automático, já que sóe tem o HDMI nela?
    Obrigado.. Boa coisa vc está fazendo.
    Valdir/

  4. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, Elizabeth,

    DTV é acrônimo de Digital Television (Televisão Digital) ou seja se refere ao método de transmissão de sinal de TV, e HDTV é acrônimo de High Definition Television (Televisão de Alta Definição), referente à resolução da tela.

    Uma TV “Full HD” é necessariamente HDTV, mas com capacidade de reproduzir até 1080p (1080 linhas de resolução horizontal com sinal progressivo).

    Se a TV tiver DTV isto significa que ela é capaz de sintonizar emissoras que transmitem o sinal digital brasileiro.

    Existem vários textos da minha coluna que explicam isto com mais detalhes. Você poderá procurá-los através do link: http://webinsider.uol.com.br/index.php/author/paulo_roberto_elias

  5. Elizabeth Oliveira disse:

    Gostaria de adquirir uma tv, só que umas tem:
    Led FuLL HD
    Hdtv: Não.
    Tem DTV embutido.
    O que significa isto? visto que existem outras que já vem com HDTV, qual a diferença?
    O que me aconselha, pode ser uma outra? ou faz alguma diferença?

  6. Paulo Ricardo disse:

    Boa tarde!Paulo Roberto,
    Eu agradeço pelas dicas,só gostaria de montar uma antena por puro prazer de esperimentar e entender
    mas sobre sinais digitais!.
    Sei que no comercio se encontran inumeros modelos e custo acsesível.
    Abraços,
    Paulo Ricardo.

  7. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, Paulo Ricardo,

    Se por “antena digital” você se refere a qualquer antena capaz de captar sinais UHF de maneira eficiente, o que eu posso lhe dizer é o seguinte:

    Possível até é, inclusive você poderá pesquisar a montagem de antenas “bow-tie” até pelo YouTube. Mas, fica a pergunta se vale realmente a pena.

    As antenas log-periódicas bem construídas são achadas a baixo custo no comércio especializado e são bastante resistentes ao tempo, condição esta necessária para quem instala antena fora de casa.

    Por enquanto, pelo menos, a melhor solução ainda é usar antena externa. As internas, com amplificador ou não, em áreas afastadas das torres costumam não dar bons resultados. Há um tempo atrás, eu li pilhas de queixas de usuários a este respeito na Internet, inclusive em função do alto custo das mesmas.

  8. Paulo Ricardo disse:

    Paulo R.
    Boa noite!
    Venho lendo alguns comentarios e gostaria de agradecer desde já o conhecimento e esclarecimento que tem dados a todos!.e gostaria de me apresentar primeiramente, Sou tecnico em microfilmagem,Laboratorio,Eletronica,e com conhecimento na area de informaica.gostaria de conhecer mais sobre esta area de sinal digital.
    E a pergunta é: Vc saberia dizer se possivel fabricar uma antena caseira digital? Já que é possivel fabricar uma antena caseira para pegar um sinal wi-fi!
    Obrigado!
    Abraços,
    Paulo Ricardo.

  9. Paulo Roberto Elias disse:

    Alayr,

    Não houve, da minha parte, intenção de ser rude, e se o fui, lhe peço desculpa.

    Se, por outro lado, lhe ajudei no que você queria, então pelo menos isso eu consegui fazer direito.

  10. Alayr Pessôa Filha disse:

    Caro Paulo,
    Quero registrar primeiramente que vc me ajudou muito com os links e as observações no que me respondeu. Aliás, o que me chamou a atenção aqui neste site foi justamente a honestidade, transparência e generosidade com que vc atende a todos — como coloquei no 1º post.
    Desculpe, eu não sei onde começou o ruído na comunicação — internet às vezes tem disso –, mas em nenhum momento achei que vc estava me culpando, qdo deu sua opinião, e Deus me livre fazer disso uma batalha! Tb não acho que vc defendeu tal ou qual formato, assim como eu tb não o acusei disso nem represento interesses de vendedores de CRT, por ex.
    Qdo coloquei que “tvz meus olhos tenham se habituado” foi no mais sincero sentimento de que tvz eu é que não esteja conseguindo distinguir a razão dessa minha preferência — da qual falei somente pq tinha me sentido à vontade pra “falar” aqui, mas que absolutamente não interfere no que eu queria saber e que vc generosamente me ajudou a compreender.
    Desculpe-me, por favor, se, por algum motivo, involuntariamente provoquei algum mal entendido.
    Sigo agradecida e admirando o trabalho que vc faz aqui.

  11. Paulo Roberto Elias disse:

    Alayr,

    Eu não estou culpando você de gostar de TV de tubo.

    Não cabe à mim fazer a cabeça do leitor por este ou outro formato. Mas, uma vez pedida a minha opinião, eu me sinto obrigado a dizer o que a minha consciência me manda. Desonesto seria eu se dissesse coisa diferente, só para agradar ao leitor.

    E eu quero também deixar claro que o meu papel no Webinsider é discursar sobre tecnologia de áudio e vídeo, segundo a minha experiência de vida, como participante do hobby, e não como engenheiro ou técnico.

    Aconteceu que, ao longo do tempo, eu comecei a atender os pedidos de ajuda dos leitores via comentários, e eu deixei isto em aberto, ao invés de impor o espaço para um forum de discussão dos textos, como um gesto de cortesia. Eu sou uma pessoa limitada, e nem sempre eu posso ajudar o leitor do que jeito que o leitor quer!

  12. Alayr Pessôa Filha disse:

    Oi, Paulo!
    Obrigada pela atenção.
    Entendi seu ponto de vista, mas o fato é que meus olhos tvz tenham se “habituado” a um tipo de imagem.
    Simplesmente isso.

  13. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, Alayr,

    É difícil para mim responder à sua pergunta sem discordar do que você diz. Eu já tive HDTV de tubo de alta precisão (foi inclusive referência na Globo e em muitos laboratórios de pesquisa) e nunca vi o problema de convergência, que é comum em qualquer TV de tubo, totalmente resolvido. Isso sem falar do peso descomunal da TV, cerca de 120 kg.

    Isso se deve ao fato de que não existe tubo plano, todos os tubos têm uma certa curvatura, disfarçada pela maneira como eles são desenhados. Portanto, é um fato concreto a ausência de perfeição geométrica, mesmo em tubos de tamanho pequeno.

    TVs digitais, como LCD, DLP ou plasma, tem uma imagem formada na base de um mapa de pixels. No caso específico da LCD, a projeção da imagem na tela pode ser totalmente plana, por causa do design do conjunto backlight e filtros permitirem isso. Pequenas, mas imperceptíveis distorções podem existir na camada de LCD, mas nas telas atuais este problema praticamente não existe. E se você quiser prova disso (ninguém precisa acreditar no que eu afirmo), basta gerar um padrão de alinhamento e comparar.

    As TVs LCD atuais que têm melhor desempenho são as de backlight com LED e com varredura alta. A propósito disso, eu escrevi, há um tempo atrás, dois artigos sobre ambos os assuntos, que eu sugeriria que você lesse:

    http://webinsider.uol.com.br/2010/01/30/lcds-com-leds-os-ultimos-avancos/

    http://webinsider.uol.com.br/2010/02/10/lcds-com-leds-parte-ii-a-eliminacao-dos-artefatos-de-movimento/

    Note que você só terá imagem compatível com a performance dessas TVs se usar uma fonte de sinal confiável. Isto significa dizer que será preciso lançar mão de um sinal de alta definição (Net Digital ou Sky standard não servem).

    Como você gosta de futebol, uma boa opção, dependendo do lado de Niterói que você mora, é a recepção de HDTV aberta, que vem do Sumaré, no Rio de Janeiro. Apenas um aviso: no momento, somente a Globo transmite sinal de HDTV de jogos de futebol locais, os da Band só são HD no nome. Ou então, se você não quer se envolver com antena e cabos, a Net HD oferece um pacote que inclui o sinal da HDTV aberta.

    Hoje em dia é fácil encontrar no mercado TVs com LED, varredura de 120 Hz ou acima e conversor de HDTV embutido. Eu lhe sugiro olhar nas lojas antes de comprar e de preferência com uma imagem de referência, como o Blu-Ray. Se você é uma pessoa exigente, não se apresse em fazer sua escolha.

  14. Alayr Pessôa Filha disse:

    Caro Paulo R. E.,
    Qdo vi há anos as primeiras TVs fininhas,fiquei encantada e resolvi que qdo comprasse uma TV nova, seria dessas. Comprei uma LCD Samsung em 2007 e resolvi então que, se voltasse a comprar outro aparelho(adoro TVs!), seria uma CRT de 29″ pq o-di-ei a imagem da LCD (mesmo c/ decoder digital da TVA). Ainda hj por melhor que seja imagem de uma TV LCD, LED, Plasma ou o que for de tela fina, acho horrível qqr imagem de plano aberto nelas, são imprecisas. Como adoro ver futebol, prefiro as CRTS grandes, que não distorcem as listras da camisa rubro-negra. Comprei uma CRT 29″ Ultra Slim Philips em 2009 e não me arrependo. Mas eis que agora preciso de uma fininha p/ pôr num local onde só ela cabe e queria saber o que importa p/ ter boa imagem de programas de TV em geral. Percebo, então, que o simples gesto de comprar uma TV tornou-se algo muito complexo: são inúmeras siglas, que mais confundem do que ajudam. Recentemente, começou a onda do painel ips ou s-ips ou ips-Alpha, que não tenho a menor ideia do que seja, mas tenho a impressão de ser mais uma onda de marketing do que algo que realmente importe. Como não sou especialista e percebo sua clara preocupação em não fazer propaganda pra nenhum fabricante, gostaria que vc me explicasse o que é relevante p/ se ter uma imagem nítida de uma TV fininha. Ah! Quero comprar uma que já use tecnologia LED, pq é ainda mais fininha pelo que sei. Que informações sobre o aparelho devo buscar,observando que em breve instalarei Sky HDTV?
    Desculpe-me a extensão do relato, por ser aficcionada por televisores, mas sem conhecimento técnico, apenas de “experiência visual”.
    Gratíssima por sua atenção e parabéns pelo belíssimo trabalho que faz e serviço comunitário que presta aqui!

  15. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, João Flavio,

    O receptor HDTV da Sky ou de qualquer outro provedor de sinal é melhor aproveitado em uma TV com pelo menos 720 linhas de resolução (720p). No seu caso, a TV com resolução plena (1080p ou “full HD”) seria a melhor opção.

    Os receptores digitais sem HDTV são indicados para TVs com resolução padrão (480 linhas de resolução). Ao reproduzir o sinal de um receptor desses em uma TV com resolução alta a imagem fica sem qualidade, mesmo que o processador interno da TV dê uma melhorada no sinal.

  16. joao flavio luciano coimbra disse:

    bom dia Paulo.

    muito interessante este artigo, porem me tire esta duvida, pode ser curto e grosso.

    na sky, tem um pacote super de 300,00 R$, que fornece quatro aparelhos, dois hdtv e dois digital.
    possuo uma tv full hd, qual aparelho vc escolheria o hdtv ou o digital? porque?

    obrigado, desde ja fico grato pela colaborção

  17. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, André,

    Ambos os modelos que você citou são Full HD (1080p), e incorporam conversor digital, ou seja, eles estão aptos a reproduzir o sinal de HDTV do ar, que é 1080i.

    Eu acho que você escolher o modelo que melhor lhe convém. O da Philips diz trabalhar em 120 Hz de varredura, o que é útil se você for reproduzir Blu-Ray algum dia. Mas, o recomendável seria você ver as TVs funcionando em alguma revenda, conferir se elas têm as entradas e saídas que você precisa, para ligar o resto do seu equipamento, antes de decidir qual modelo comprar.

    Se você tem Sky, você ainda pode pedir para eles trocarem o sintonizador pelo modelo mais novo, que tem recepção para canais HDTV.

  18. André Felipe disse:

    Boa noite Paulo.

    Bem, vou ser direito heheh. Afinal, eu vou comprar uma tv Full HD 1080p mais só que a Philips diz que ela não é HDTV só DTV ( TV 32″ LCD Full HD – 32PFL3805D – (1.920×1.080 pixels) – c/ Decodificador para TV Digital embutido (DTV)) no caso da Samsung ela diz que e HDTV ( TV 32″ LCD Full HD c/ 3 HDMI, Conversor Integrado, Entrada USB e PC LN32C530 – Samsung ). Finalmente eu compro uma TV que pode ser DTV ou só HDTV ?

    Em casa eu tenho a Sky Parabólica que e 100% Digital, ( assim ela diz ) e ai amigo Paulo, com todo o seu grande conhecimento na área, qual eu devo comprar?!!

    Muito obrigado pela sua ajuda!!!

  19. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, Luciano,

    A gente faz o que pode. Considere como alternativa de sinal de alta definição um leitor de discos Blu-Ray, que tem imagem muito superior a qualquer TV HD de assinatura. E obrigado pelos elogios no seu comentário.

  20. Luciano de Souza Menezes disse:

    Paulo Roberto,

    Muito obrigado pelas explicações, fico grato por haver pessoas com conhecimento como você ainda disposto ajudar o próximo, apesar de meus 37 anos quando crescer em conhecimento quero seguir seu exemplo, muito grato e felicidaes para ti.

  21. Paulo Roberto Elias disse:

    Luciano,

    O fato do sinal ser digital não quer dizer nada. No receptor de satélite convencional a resolução não passa de 480 linhas, se chegar até isso. Além disso, uma boa parte da falta de qualidade que o usuário nota vem de artefatos de imagem diversos, inclusive e principalmente aqueles causados pelo excesso de compressão de sinal.

    Para ter uma imagem e som compatíveis com a realidade das TVs novas do mercado é preciso investir também na melhoria da fonte de sinal. E neste caso, como você suspeita, é preciso assinar a Sky HD ou um serviço equivalente de outra operadora.

  22. Luciano de Souza Menezes disse:

    Boa noite, comprei uma tv de 40″ led televisao/led-serie-6000-tv-digital-philips-40″pfl6605 full hd, tinha uma convencional de 21″ polegadas, fiquei todo bobo assinei sky fit, plano mais barato sem sinais hd, mais são sinais digitais? ai percebi que comprei gato por lebre pois o sinal fica muito ruim ja tentei configurar de todas as formas, fica embassada con artefatos de video etc…, tenho duvidas somente vou ter sinal bom se adquirir sky hd tv , que custa muito caro, pois na minha area não tem tv aberta digital, o que teria que fazer?

  23. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, Rafhael,

    Os termos são confusos sim. O correto seria falar em sintonizador para TV Digital.

    O circuito de sintonia da DTV é desenhado para receber o sinal UHF digital do ar, que é diferente do UHF analógico, e depois convertê-los ou decodificá-los, se você quiser, para que os mesmos possam ser aproveitados pela TV.

    Esta decodificação é feita com o bitstream de áudio e vídeo (H.264 e AAC, respectivamente) e cada fabricante possui um circuito desenhado por ele próprio e incorporado nas TVs, para alcançar este objetivo. Neste caso, ele é normalmente chamado de “conversor integrado”.

    Mas um circuito semelhante é disponível por fora, para aqueles que precisam do sinal digital e não o tem integrado na TV.

  24. Rafhael disse:

    Existe diverença entre decodificador digital para TV (DTV) e conversor digital integrado?
    Alguns fabricantes especificam conversor enquanto outros especificam decodificador. Ambos possuem a mesma função, ou tem diferença de qualidade de imagem, ou acabam sendo a mesma coisa?

    Um abraço

  25. Paulo Roberto Elias disse:

    Olá, Maria Elisa,

    Eu não tenho forma de testar e comparar equipamentos, mas de qualquer forma a tecnologia de backlight de LED e com varredura mais alta do que a convencional já se mostrou superior em muitos aspecto. Nesta coluna mesmo, você poderá achar textos explicando por que.

    De olhos vendados, eu não compraria televisão nenhuma, porque não é só a tecnologia de backlight que conta, outros recursos como processadores, design da interface com o usuário, e outras características de funcionamento também.

    Se você não consegue vê-las, tente pesquisar testes com estes modelos, feito em sites especializados da sua confiança.

    Em última análise, eu iria com a TV de LED, se não for possível comparar com as outras.

  26. maria elisa guimarães disse:

    será q poderia me ajudar?
    Época de copa do mundo, várias promoções…Desejo comprar minha primeira LCD, daí apareceu a LED. Como leiga pergunto (ps [reços estão praticamente iguais):
    qual a melhor desses 3 modelos, que estão em promoção com preços semelhantes?

    TV Philips 40PFL5605D LED, Full HD, 120HZ, 3 HDMI, USB, Conversor – Philips-

    ou
    TV 42″ LCD Full HD Scarlet – 42LG80FD – (1.920 x 1.080 pixels) com Conversor Digital Integrado Home Theater integrado – LG

    ou
    Bravia LCD Full HD 40 polegadas com conversor integrado KDL-40EX505
    Agrad”co muito a sua ajuda.

  27. Paulo Roberto Elias disse:

    André,

    A não ser que a sua fonte de sinal seja próxima em definição da tela da sua TV, não seria sensato tirar qualquer conclusão a respeito da sua performance. E se você intenciona mesmo instalar um conversor, aproveite para fazer um teste conclusivo sobre a qualidade da sua tela. Mesmo que as emissoras não estejam no melhor da sua forma, ainda assim a imagem em HDTV é muito superior a DVD ou TV a cabo, inclusive no formato HD.

  28. Andre Luis disse:

    Paulo Roberto “HELP” comprei uma tv lcd 42 pol. AOC H831 FULHDTV e minha expectativa foi frustrada com uma imagem borrada,reflexos intensos inclusive acontece o mesmo ate na imagem de DVD e apesar de tentar os recursos oferecidos pela mesma e ter instalado sistema de tv a cabo acreditando obter sucesso estou decepcionado seria talvez instalando um conversor digital a solução do problema amigo peço gentilmente sua opniao desde já fico grato.

  29. Paulo Roberto Elias disse:

    Obrigado, espero que tudo dê certo do seu lado.

  30. Junior disse:

    Ok Paulo.
    Agradeço a pronta atenção dispensada.
    Realmente suas informações me ajudaram muito.
    Desejo a vc saúde,paz e felicidade!
    abraço,
    Junior.

  31. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, Junior,

    A recepção de sinal digital exige sim uma antena UHF, de preferência externa, e no lugar mais alto que você puder instalar a antena.

    Procure usar antena do tipo “toda banda”, apontando a frente para a direção do transmissor local.

    Use também cabo coaxial de tipo RG-6 ou RG-6C, se este estiver disponível na revenda, e com o máximo de malha possível. Valores acima de 80% são desejáveis.

    Se a externa for externa, não se esqueça de isolar todas as conexões com fita isolante de fusão da 3M (não é propaganda) e use-a da maneira recomendada: corte um pedaço de uns 10 cm, estique a fita até ela se reduzir a 2/3 da largura e enrole a fita no conector. Esta proteção impedirá a corrosão do cabo e do conector, durante muito tempo.

    No seu caso, como o sintonizador digital está dentro da TV, a conexão do cabo de antena deverá ser feita no conector apropriado da TV.

  32. Junior disse:

    Olá Paulo, tudo bem?
    Se possível, gostaria que esclarecesse uma dúvida.
    Recentemente adquiri uma LCD Full HD com conversor digital integrado. Meu sinal chega por uma única entrada vinda da operadora de tv a cabo da minha cidade, porém não possuo nenhum canal fechado apenas um “combo que alem de telefone e internet oferece-me melhoria dos canais da tv aberta. Gostaria de saber se pelo fato da minha tv já possuir um conversor digital, automáticamente poderei receber sinal digital se alguma das emissoras estiver transmitindo em HD? Ou como já me disseram: “você precisa ter uma antena específica para receber sinal HD mesmo que possua conversor integrado” isto procede?
    Grato, um abraço.

  33. Paulo Roberto Elias disse:

    As TVs com 240 Hz são superiores. Por favor, leia em http://webinsider.uol.com.br/2010/02/10/lcds-com-leds-parte-ii-a-eliminacao-dos-artefatos-de-movimento/

    Depois de ler o texto, eu espero que você tome a decisão certa.

  34. MARCIO MOMESSO disse:

    Mais uma vez , muitíssimo obrigado em colocar seus conhecimentos a disposição de tanta gente , é uma grande contribuição que faz crescer ainda mais minha admiração por você .
    Sem abusar da sua boa vontade , estou para decidir a compra entre dois LCD de uma mesma marca , possuem quase as mesmas características , FULLHD , CONVERSOR DIGITAL , painel ips , entre outras . O que difere entre elas :

    1- LCD 32″ , FUNÇÃO TRUMOTION ( FREQUÊNCIA DE 240HZ ) e CONTRASTE 150.000:1

    2- LCD 37″ , não possue a FUNÇÃO TRUMOTION e CONTRASTE de 80.000:1

    Uma possue a FUNÇÃO TRUMOTION , maior contraste , porém uma tela um pouco menor , enquanto que a segunda possue tela maior e não apresenta o detalhe de frequência de 240Hz , a tal função trumotion (será que isso dá diferença ou seria apenas marketing?) , além de um contraste um pouco menor .
    Com uma sala pequena , e se essas funções realmente fizerem diferença , apesar de mais cara a de 32″ que a de 37″ , optaria pela menor tela , gostaria de sua opinião .
    Obrigado.

  35. Paulo Roberto Elias disse:

    Caro Marcio,

    Diante da atual situação dos conversores (set top boxes) disponíveis no mercado, eu acho que é mais aconselhável comprar uma TV com o sintonizador de DTV. Este é um caminho irreversível, e mesmo com todos os problemas que a televisão digital enfrenta, um belo dia as transmissões analógicas chegarão ao fim no país todo.

    Eu nunca tive por hábito me guiar por fórmulas de distância de visão versus tamanho de tela, como muitas pessoas fazem. O tamanho de tela, seja lá qual for, não tem influência na percepção da imagem da maneira como as pessoas imaginam. Tanto assim, que muita gente usa telas enormes como monitores de computador! Escolha a tela que lhe agradar, e faça as regulagens que te permitam assistir o conteúdo com conforto visual.

    Sobre marcas e modelos, eu preciso esclarecer que eu não recebo equipamento de nenhum fabricante para fazer análises ou medições. Eu sou um usuário final como qualquer outro, e a única coisa que me diz respeito é mostrar a tecnologia como eu a vejo.

    Por isso, não posso te dar conselhos de marcas ou modelos. Se você observar bem o mercado, o domínio tem sido da Philips, LG, Sony e Samsung já de muito tempo.

    Se algum conselho eu poderia te dar seria o de buscar recursos de ajuste e performance, na medida em que o teu bolso aguenta pagar.

    E sobre som nas TV’s, esqueça! Com as telas cada vez mais finas, mesmo nos modelos mais caros, o som parece que está saindo de um rádio de pilha. Se você valoriza o áudio, instale um home theater decente e ligue a saída do som da TV no mesmo!

  36. MARCIO MOMESSO disse:

    Caro Sr.Paulo , pretendo adquirir uma TV LCD , e gostaria de alguns conselhos :

    1 – Devo optar por uma TV com conversor digital ou não há necessidade ?

    2 – Saberia informar qual o tamanho ideal de tela , devo me basear pela distância entre o telespectador e a tela ?

    3 – Poderia informar um modêlo e marca que oferece melhor qualidade de imagem e som ?

    Desde já , agradeço as possíveis respostas às minhas perguntas e parabenizo-o pela sua coluna , muitíssimo obrigado !

  37. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, Vinicius,

    Eu te peço desculpas, mas a sua pergunta não é muito clara, e eu estou sem saber exatamente o que você quer fazer.

    De qualquer forma, eu esclareço o seguinte:

    O PS3 passa sinal de alta definição para uma TV compatível, cuja fonte pode ser jogos e Blu-Ray. É possível também (mas eu teria que ter acesso ao manual para saber isso) que ele reproduza video clipes em alta definição, daqueles que qualquer um baixa da Internet.

    Para assistir TV (se é esta a sua dúvida) só se consegue ver alta definição usando-se um conversor/sintonizador interno para DTV ou assinando os provedores Net ou Sky, que fornecem este tipo de serviço.

  38. Vinicius disse:

    ou melhor, usar ele como se fosse um “negocio” q coloca na TV pra ver em HD! por exemplo: tu compra um adaptador q vc instala na TV q deixa a imagem em HD…..tem como fazer isso com PS3?

  39. Vinicius disse:

    Olá,
    Eu qeria saber se pelo PS3 tem como ver TV em HD?

    Obrigado

  40. Paulo Roberto Elias disse:

    Caro Sidney,

    Eu entendo que a TV Digital ainda vai custar a chegar a muitos cantos do Brasil, particularmente fora dos grandes centros. Isso ocorre, em grande parte, por causa do investimento concentrado das emissoras, em locais onde eles têm maior retorno de mercado.

    Além disso, mesmo nos grandes centros, o progresso ainda é muito lento, não só do sinal, como tambem do conteúdo, porque nem todas as emissoras ainda se deram conta de que, para ter bom sinal e bons programas, é necessário mudar muita coisa.

    Quando a ser caro, acho que é exatamente o contrário: quando se fala de DTV, deve-se ter em mente que o sinal é 1080i na maioria das emissoras. A relação custo/benefício, neste aspecto, é muito favorável à compra de um conversor ou de uma TV com sintonizador DTV e mais uma antena externa.

    A tendência é que os programas em HDTV aumentem de oferta, e que num futuro mais para a frente, a TV aberta só será possível por sinal digital. resta torcer que haja cobertura para todo mundo.

    No seu caso, seria interessante que você ligasse para a emissora com antena mais próxima da sua moradia, e perguntasse sobre o alcance do sinal atual, antes de investir no equipamento.

  41. sidney jorge de almeida disse:

    Essa tecnologia estará presente completamente quando? Gostaria de saber se as dificuldades são muito grandes. A Tribuna de Santos que já possui o sinal, fica restrito a uma pequena área Santos e São Vicente. A impressão que tenho é que o sinal da Tv digital é algo muito caro e raro; estou certo?

  42. Paulo Roberto Elias disse:

    Caro Cesar,

    Me perdoe, mas a sua resposta vai ter que ser on-line, até para dar chance aos outros leitores de lerem também.

    Uma TV classificada como HDTV ready não é Full HD, mas está perfeitamente preparada para receber o sinal de HDTV, até 1080i de resolução.

    O que a indústria classifica como HDTV ready é qualquer aparelho de TV capaz de aceitar 720p e/ou 1080i, que são padrões de HDTV implementados desde muitos anos. Na prática, este tipo de TV nem precisa ter necessariamente 1080 linhas de resolução, ela tem que ter um mínimo de 720 linhas!

    Qualquer sinal acima disso, a TV faz um processo chamado de scaling, que nada mais é do que a adaptação do número de pixels da imagem para a resolução nativa da tela. Se o sinal de entrada tiver mais pixels, o processo será downscaling e se for menor, upscaling.

    Com este tipo de TV você pode ligar tanto um conversor de TV digital, sinal HDTV de qualquer provedor, ou até mesmo um leitor de Blu-Ray.

    A qualidade final da imagem irá depender da performance do processador interno da TV. Me arrisco a dizer que, dependendo deste resultado, você poderá nem conseguir distinguir a sua TV de uma Full HD.

  43. cesar amorim disse:

    olá paulo,manda a resposta pro meu e-mail por favor. obrigado

  44. cesar amorim disse:

    olá,paulo comprei uma tv lcd 32 samsung serie 3 hdtv!tem como adaptar full hd nela?pois gostaria de ver em alta definição.tenho que comprar conversor também?minha tv não é full nem tem conversor embutido.obrigado e parabens

  45. Paulo Roberto Elias disse:

    Prezado Luis César,

    Infelizmente, o seu endereço de e-mail não é publicado no site, e assim eu lhe peço desculpas, ao lhe mandar a resposta pela coluna mesmo.

    Outro dia mesmo, eu respondi a um leitor, que estava preocupado com essa coisa de distância da tela. Eu não vou repetir a resposta toda, mas basta dizer que a trama da tela de LCD é pequena o suficiente, para evitar este problema de embaçamento que você reclama.

    Eu creio que o problema é mais ligado à falta de resolução da imagem fonte que você usa. Embora as emissoras de televisão terrestre ainda estejam longe do ideal, o sinal de HDTV que elas transmitem claramente oferecem uma qualidade muitíssimo superior, no que tange à resolução, tanto na imagem standard, quanto principalmente no sinal de HDTV.

    Assim, o meu conselho seria, em princípio, você fazer uso do sinal de DTV terrestre, caso tenha acesso ao mesmo.

    Com o dito sinal digital de operadoras como Sky ou Net, você vai invariavelmente cair no mesmo problema de antes, a não ser que você assine o sinal de HDTV deles. O da Sky eu ainda não vi, mas o da Net me pareceu, à primeira vista, inferior ao da DTV terrestre.

    Espero ter ajudado.

  46. Luis César disse:

    Olá, comprei uma tv L42H831 42 AOC full hd, o produto me parece muito bom apesar de seu tempo de reposta não estar nos mais indicados, pois está em 8ms e o correto seria 5ms para baixo. Bom o que me deixou desanimado é que vi a mesma tv em funcionamento em uma loja, a imagem era magnifica muito boa mesmo tinha uma philips 42 do lado e por incrível que pareça pelo menos a aoc tinha uma qualidade invejavel bem próximo da lg que estava no mesmo stand. Só que ao ligar a tv a imagem fica meio embaçada, da até para assistir mas sem aquele gosto que imaginei. Ja falei com o pessoal da AOC e os mesmo me responderam que a distância ideal para 42 pol seria mais de 2,5 e onde sento para assistir fico a 1 metro 30 da tv. Lógico que pelo tamanho tem que ser mais longe. Mas mesmo com a configuração que me passaram ficou melhor, mas não ideal. Pesquisando na net vi muitas pessoas reclamando do mesmo problema em outras tvs de marcas como philips, lg, samsung etc os tops de mercado. Então mais a fundo vi que o problema seria o sinal que recebo que é analógico de baixa qualidade mesmo comprando uma antena excelente aquario DTV-3000 UHF,VHF,HDTV que em outra tvs da casa pega que é uma maravilha mas nessa tv continua esse embaçamento.

    Seria isso mesmo problema com o sinal analogico, pois teria que ter um receptor tipo sky para poder usufruir de uma imagem de qualidade ou pelo menos aceitavel ?

    Vi também o padrão de tamanho que a tv convencional é pequeno xyz e a minha é 1080 teria também esse enrrosco para que a qualidade fique boa?

    Desde já agradeço pela atenção.
    Se puder enviar por email a resposta agradeço.

  47. Paulo Roberto Elias disse:

    Caro Ramao,

    Em se tratando de HDTV por transmissão terrestre, que, como mostrado no artigo, vai ao máximo de 1080i, o sinal obtido pode tanto ser exibido usando-se cabos de vídeo componente quanto HDMI. A maioria dos receptores (conversores) para DTV tem esses dois conectores.

    De fato, o sinal de DTV é captado por uma antena UHF (os detalhes sobre isso você pode ler em http://webinsider.uol.com.br/index.php/2009/03/18/tv-digital-no-ar-recepcao-ou-decepcao/, publicado neste site.

    Porém, uma vez dentro do receptor, o sinal digital é demodulado e decodificado, e demultiplexado, para a sua passagem à TV. Até a entrada de antena do receptor, um cabo coaxial é usado, mas depois, para se obter sinal de HDTV nativo, é necessário usar vídeo componente ou HDMI, conforme explicado acima. Caso contrário, se outros cabos forem usados, o máximo de sinal obtido é 480i (standard).

    Por fim, cabe esclarecer que Full HD (1080p) não é transmitido por DTV, pelo menos não por enquanto. Por isso, para reproduzir HDTV do ar, por cabo ou satélite, até mesmo uma TV do tipo HDTV ready (WXGA) é suficiente.

  48. Ramao Acir da Silva disse:

    Tenho uma dúvida: É sabido que para se obter uma imagem com resolução máxima (1920 x 1080), é necessário, além de um aparelho TV Full HD, que as conexões sejam feitas com cabos HDMI, todavia, numa transmissão de TV aberta, a ligação da ANTENA UHF até o CONVERSOR DIGITAL é feita através de um cabo RF. De que adiantaria usar o cabo HDMI a partir do conversor se o sinal que chega até ele é pelo cabo RF? O sinal já não estaria prejudicado? Haveria alguma melhora no sentido de se conseguir a máxima resolução? Por favor, gostaria que me esclarecessem. Obrigado.

  49. Paulo Roberto Elias disse:

    Apenas para ilustração, a quem tiver interesse:

    Medidor de campo digital para ISDB-T:

    http://www.ebcom.com.br/paginas/_portugues/docs/Medidor_de_campo_ADLB2_Manual.zip

  50. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, Mônica!

    Fui ler de novo o seu comentário e descobri aonde foi que eu me distraí, pelo que lhe peço desculpas.

    Mas, de qualquer forma, o meu comentário ainda se aplica, porque pelo menos comigo, parentes e amigos, as telas do tipo LCD têm nos ajudado a fazer um centro multimídia. A entrada para PC, por exemplo, me permitiu fazer experiências com arquivos de alta definição de diversos tipos, muito antes de existirem Blu-Ray ou HD-DVD.

    Realmente, o que fala sobre subir numa torre de 10 m para colocar antena é o fator que vai intimidar muita gente a ter DTV em casa. E aí você tem que recorrer aos antenistas, a maioria sabe o que faz, mas não se instrumenta. Resultado: é um trabalho totalmente empírico, na base da tentativa e do erro, e onde a sorte é o maior fator de sucesso. Um dia desses, eu ouvi um antenista dizer para mim que, na instalação da casa de um cliente, ele havia colocado um mastro de cinco metros sem sucesso (não pegava nada), mas ao colocar um de dez metros, começou a pegar tudo. Quem é de nós que vai ter a paciência de fazer isso?

    No entanto, existem bairros aqui do Rio que pegam o sinal digital com uma antena interna. Isto, na prática, quer dizer (e aqui eu repito palavras de uma engenheira de tranmissão) que somente quando os transmissores estiverem acertados é que se vai ver até onde o sinal digital alcança. E como se trata de UHF, eu emendo: na hora que houver repetidoras o suficiente, para atender a todo mundo!

    Sobre a sua situação de localização, é difícil prever, mas não creio que haja muito problema. O que se sabe sobre DTV é que obstáculos móveis podem interferir na recepção do sinal, mas tudo depende da posição da antena receptora, em relação ao sinal transmitido. No caso, você poderia ter uma flutuação na chamada qualidade do sinal, que provocaria artefatos na imagem, ou emudecimento do som, momentaneamente.

    Finalmente, eu te sugiro que, antes de decretar o status da sua LCD como elefante branco, de tentar abrir opções de uso, tais como um bom DVD player, ou quem sabe, até um Blu-Ray player, se o seu interesse for também na alta definição.

  51. Monica disse:

    Olá Paulo!

    Sobre o elefante branco eu me referia a TV LCD, o conversor nem cheguei a comprar porque não consegui ninguém que instalasse a antena. E eu não tenho coragem de subir numa torre de 10m!
    Realmente a DTV é muito recente, é difícil achar informações em uma linguagem simples, por isso volto a agradecer e elogiar seus artigos.
    Não sabia que existia esse medidor de campo digital. Vou procurar um antenista que tenha um.
    Só uma dúvida, eu achei a antena da Globo em Campinas e a minha casa no Google Earth. Bem no meio tem o aeroporto de Viracopos. Isso pode afetar a qualidade do sinal da televisão digital?

    Agradeço as respostas!
    Abraços.

  52. Paulo Roberto Elias disse:

    Monica,

    Você me perdoe, mas eu não concordo que o seu conversor seja um elefante branco. A televisão digital começou ontem, se você considerar que nenhuma emissora deste país tem experiência suficiente para garantir a chegada do sinal a todo mundo. Com o celular não foi diferente, foi?

    Os técnicos e antenistas têm uma postura conservadora, para se protegerem da possibilidade deles prestarem o serviço sem sucesso e o cliente pagar e fica indignado, o que é compreensível.

    Por outro lado, todos os antenistas e revendedores de antenas que eu consultei me desaconselharam a instalar antena com booster (um pequeno amplificador de sinal que é instalado bem ao lado da antena).

    Se eu fosse seguir este conselho à risca, estava sem ver vários canais até hoje! Eu moro num local próximo às torres, mas bloqueado por vários morros. Então o sinal aqui é quase impossível, porque os obstáculos físicos (morros, árvores, prédios) são muitos e degradam o sinal digital.

    Os antenistas me disseram que, se eu tivesse um canal ou outro entrando forte (eu tinha) e se depois eu colocasse um booster, eu os perderia, por saturação do circuito de ganho do conversor. Isto até é verdade, porém ninguém veio aqui na minha casa, com um medidor de campo digital, para me afirmar isso com segurança, percebe?

    Então, como eu também não tenho um medidor de campo, resolvi fazer isso na base da tentativa e do erro, e hoje até me arrependo de ter comprado um booster de potência moderada. Mas nada que as emissoras depois não corrijam com o aumento da potência nos transmissores, e aí o booster atual ficará até redundante.

    Tudo bem, você mora em Indaiatuba, não é isso? E quantos quilômetros fica a sua cidade, numa linha reta até Campinas? Eu sei de gente que mora a uns duzentos quilômetros de algumas torres e pegam o sinal digital!

    Se você ainda quiser tentar, o conselho é antena UHF toda banda direcional, com bom ganho, cabos coaxiais de baixa perda (RG-6, por exemplo), e a antena colocada o mais alto possível, transmitindo o sinal captado com um booster generoso (acima de 30 dB). Use um booster com ganho variável, para depois, se precisar, diminuir o ganho e evitar a temida saturação de sinal, que, aliás, no seu caso, eu até duvido que ocorra!

  53. Monica disse:

    Perdão, o receptor da Sky que tenho não tem saída video *componente*.

  54. Monica disse:

    Caro Paulo,

    Agradeço a resposta.

    Seus artigos realmente tem me ajudado muito! Estou lendo o máximo que posso.

    Comprei a TV ano passado justamente porque a revenda da Sky havia me dito que o receptor HD da Sky seria lançado ainda em 2008, passados 14 meses, ainda estou esperando.
    Antes eu usava um cabo RCA e troquei por um S-Video de fibra ótica, mas a melhora não foi significativa. O receptor RCA da Sky (DB200, para os antigos assinantes da Directv) que tenho aqui não tem video composto.
    Em Indaiatuba o único canal digital seria da Globo de Campinas, mas todos os técnicos que consultei ou recusaram-se a instalar a antena ou não garantiram a recepção do canal, então não cheguei a comprar o conversor para DTV.
    Acho que acabei ficando com um elefante branco na sala!

    Abraços!

  55. Paulo Roberto Elias disse:

    Desculpe, Monica, fui pego de surpresa por outra coisa, na hora de continuar meu comentário, mas aí vai o restante:

    O que acontece é que o sinal digital HDTV do satélite é diferente do sinal digital aberto. Então, a Sky teria que dar um jeito de transcodificar o sinal, de tal forma que ele chegasse intacto na casa do cliente.

    Na prática, o que eventualmente pode acontecer é que, para o público assinante de TV, o sinal de HDTV poderá ser o suficiente, e então se evitam os transtornos de colocar antena, brigar com condomínio, etc.

    Entretanto, se estes tipos de percalços continuarem, então o sinal digital aberto deverá ter mais adeptos neste segmento de mercado. Em última análise, pode-se recorrer a ele para assistir um ou outro evento transmitido em HDTV, sem os efeitos de compressão da TV fechada e sem os custos da mesma.

  56. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, Monica!

    Eu não vejo como isso seria possível.

    Você está se referindo a um conversor de DTV? Então, a resposta é não mesmo, até porque esses conversores só tem saída de sinal e uma entrada de antena.

    Por acaso, eu publiquei recentemente um artigo sobre recepção de sinal digital aberto e talvez valesse a pena você dar uma lida:
    http://webinsider.uol.com.br/index.php/2009/03/18/tv-digital-no-ar-recepcao-ou-decepcao/

    Acontece que os sinais digitais da Sky ou da Net sofrem muito o efeito da compressão, e esse é um dos principais motivos pelo qual a imagem não é boa numa tela LCD. E nesse caso, tanto faz S-video como vídeo composto, o resultado é mais ou menos o mesmo.

    No caso do receptor digital da Ner (aquele prateado da RCA), eu até consegui com um técnico que me trouxesse um adaptador para vídeo componente. Aí, a imagem melhorou bastante, mas não o suficiente para mascarar artefatos digitais, em várias emissoras.

    Se você já tem um conversor digital para a TV aberta e usa nele um cabo HDMI, é o melhor que você pode ter em termos de imagem HDTV.

    Sobre a Sky, a notícia que eu tive é que eles vão transmitir em HDTV a partir de abril, mas a data definitiva, até este meu contato, ainda não estava certa.

    O que virá depois daí, ninguém sabe, esta é que é a verdade!

    A Net, por exemplo, só conseguiu até agora passar 3 sinais de TV aberta, e gente com quem eu falei (todos engenheiros) acham pouco provável de que eles consigam qualquer progresso nesta direção.

    No caso da Sky, o presidente da mesma deu uma declaração à imprensa, dizendo achar difícil a passagem do sinal digital de TV aberta no receptor que será comercializado com os assinantes. a não que seja implementado um módulo por fora.

    Repare que nem se fala ainda de custo, porque, como o presidente mesmo disse, ninguém sequer sabe quem vai pagar esta conta.

    O

  57. Monica disse:

    Olá Paulo,

    Sou assinante da Sky e tenho um LCD, mas a imagem está muito feia. Tentei calibrar de tudo quanto é jeito mas nada feito.
    Se eu ligar o cabo S-Video do receptor da Sky em um conversor digital e depois ligar o conversor digital na TV pelo cabo HDMI, será que melhora a imagem? (Se é que isso é possível)

    Agradeço a atenção.
    Abraços!

  58. Paulo Roberto Elias disse:

    Caro Jefferson,

    Detalhes sobre o funcionamento e instalação do conversor foram postadas numa outra coluna, publicada recentemente: http://webinsider.uol.com.br/index.php/2009/03/18/tv-digital-no-ar-recepcao-ou-decepcao/.

    Sobre o seu receptor Sky a melhor opção é S-video, mas não vai fazer grande diferença. Verifique com a Sky se eles oferecem opções de receptor com saída vídeo componente. Se não, e se você ainda deseja uma imagem melhor fornecida por eles, informe-se sobre a disponibilidade do receptor de alta definição na sua cidade. Este receptor deverá ser lançado em futuro imediato, mas eu não sei lhe dizer quando nem a que custo.

    Em termos de alta definição, a transmissão do ar é boa e gratuita, mas tudo vai depender das condições de recepção na sua área. No momento, nem todos recebem ainda o sinal de DTV, principalmente fora dos grandes centros.

  59. jefferson disse:

    Gostaria de saber como faço para utilizar o conversor digital. Tenho um receptor da sky, e quando ligo na minha tv de 42 lcd, atraves do cabo RCA, fica horrivel a imagem. Gostaria de saber, se eu ligar o receptor ,atraves da conexão de antena da tv(como se fosse uma antena interna) se a imagem fica melhor! abraço e parabens pelo site, muito bom!

  60. Paulo Roberto Elias disse:

    Caro Alberto,

    Deixe de lado, por enquanto, as especificações que você está lendo sobre contraste dinâmico, e se certifique se a performance do processador interno dessas TVs é suficiente para reproduzir bem todos os sinais indistintamente.

    A sus primeira opção, na minha opinião, deve ser sempre a maior número de pixels na tela, o que privilegia o aparelho da Toshiba. Embora possível, dificilmente um aparelho da classe WXGA (LG) vai superar a performance de um aparelho 1080p (Full HD), porque o fabricante se obriga a colocar lá dentro um processador de melhor qualidade. Além disso, com um número maior de pixels, é possível efetuar as operações de scaling (remapeamento de bits para ajustar sinais de resolução diferente) com muito maior eficiência e qualidade final.

    Outros itens, como contraste (estático, não dinâmico), nível de preto, e principalmente cor variam de tela para tela, até mesmo em monitores de computador.

    Se você puder, leve algum material de referência (DVD, Blu-Ray), para a loja. Às vezes, isso ajuda a se tomar uma decisão. E boa sorte na sua escolha!

  61. Alberto Neves disse:

    Amigo Paulo, estou às vésperas de adquirir um LCD 42 e indeciso entre duas opções:
    42LG50D – este é um LF HD-READY; resol. 1366×768 pixels; 3 HDMI e sintonizador integrado etc.
    42XV550DA – Toshiba FULL-HD, tambem com conversor interno.
    Este último especifica um contraste dinâmico de 8.000:1, e o LG informa 50.000:1.
    Poderia emitir uma opinião a respeito?
    Ficaria muito grato.
    Alberto.

  62. Paulo Roberto Elias disse:

    Olá, William,

    Muitos fabricantes já estão incluindo o circuito sintonizador para o sinal de TV digital usado no Brasil, e alguns modelos até com padrões para qualquer sistema, o que chega a ser uma extravagância para a gente, mas importante para o setor de exportações das empresas.

    Portanto, não é de se espantar que o modelo que você adquiriu já tenha o conversor embutido na TV (o que é provável), e neste caso a instalação de um conversor externo, mesmo possível, é totalmente redundante!

    Eu concordo contigo que a terminologia de palavras que o fabricante usa ajuda a tornar as especificações do produto confusas, e neste caso eu acho até que não te custaria nada passar a mão no telefone e ligar para o suporte da AOC, de modo a dirimir a dúvida e tirar esse dilema de vez do seu caminho.

    Em tudo dando certo, basta ligar uma antena UHF, de preferência externa, de acordo com as condições de recepção do seu local. E depois você pode tanto usar um cabo de vídeo componente ou HDMI, porque o máximo de sinal obtido é 1080i.

    Aliás, eu estou neste momento fazendo alguns testes de recepção, um pouco limitados, é verdade, mas cujos resultados eu pretendo publicar numa futura coluna. Por favor, fique atento.

  63. WILLIAM TEIXEIRA DE SANT´ANNA disse:

    CARO PAULO:

    COMPREI UMA TV LCD 42 POLEGADAS AOC FULL HDTV READY.
    NO ANUNCIO DIZIA SER COM CONVERSOR DIGITAL INTEGRADO, PORÉM, NA CAIXA ESTÁ DIZENDO: RECEPTOR DIGITAL INTERNO PRONTA PARA RECEPÇÃO DE TV DIGITAL. VOU TER QUE COMPRAR O TAL CONVERSOR OU NO FIM É A MESMA COISA?
    NA CERTEZA DE QUE SEREI MERECEDOR DA ATENÇÃO DE V. S. AGRADEÇO ANTECIPADAMENTE…
    ATT. WILLIAM.

  64. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, Mauricio,

    A presença de ruído sugere algum problema no cabeamento usado, irrespectivo, no caso, de se usar S-vídeo ou vídeo composto, que me parece é o que esse receptor da TVA aceita.

    No seu lugar, eu começaria por trocar pelo cabo de melhor sinal de vídeo possível, para conectar o receptor da TVA. E compraria um cabo novo deste tipo de conector. A ordem de preferência seria video componente, S-vídeo e video composto.

    Se não resolver, o bom senso manda chamar um técnico da TVA, porque você pode estar com ruído (ou queda de sinal) bem antes do sinal chegar no aparelho deles.

    Como esses receptores são proprietários, e incluem um decodificador de sinal, não é possível sugerir nenhuma outra alternativa para o mesmo.

  65. Mauricio Ferreira disse:

    tenho uma tv lcd de 26 sansung e sinal digital da tva. quando liguel a tv no conversor da tva o resultado não foi bom, a imagem ficou cheia de noise (ruido) como se estivesse embaçada. gostaria de saber se ha alguma maneira de resolver esse problema com algum tipo de conversor digital

    agradeço desde ja

    Mauricio

  66. Paulo Roberto Elias disse:

    Olá, Viviane!

    Vamos tentar recapitular algumas dessas noções, para ver se fica mais claro o processo de scaling:

    As telas que se baseiam em uma matriz de pontos (ou pixels, se quiser), como as LCD ou plasma, possuem um número fixo de pontos, que pode ser calculado desta forma:

    número de pontos na horizontal x número de pontos na vertical = número total de pontos na matriz

    Por exemplo: 1920 x 1080 = 2073600 pontos.

    Como cada ponto, que na realidade é um pixel, está ainda subdividido em 3 (vermelho, verde e azul), você multiplica o resultado por 3, no caso, ficando 6220800 pontos.

    O número de pontos representa o que a gente chama de definição ou de resolução nativa da tela. Por convenção, usa-se o número de pontos na vertical para representar esta mesma grandeza, e no caso da alta definição, a tela tem que ter pelo menos 720 pontos na vertical (representando o sinal de 720p). E ainda, como esses pontos estão na vertical, é muito comum chamá-los de linhas em vez de pontos. Assim, eu posso dizer que um sinal típico de HD é de 1080 linhas.

    O sinal padrão de alta definição (HD) é de 1080 linhas (1920 x 1080 pixels). Originalmente, este sinal era entrelaçado: 1080i (o i é de interlaced). O que se chama agora de Full HD nada mais é do que o mesmo sinal, porém em imagem progressiva, ou seja, 1080p.

    Para saber se o sinal de entrada numa TV sofrerá upscaling ou downscaling é preciso comparar o número de pixels do mesmo com os da TV. Por exemplo: se o sinal de entrada for de 480i (DVD) e a TV for de 1080p, haverá upscaling.

    Note que scaling nada mais é do que uma conversão de número de pixels do sinal de entrada, para a resolução nativa da tela onde ele é reproduzido. Nesta conversão, a qualidade do processador de vídeo tem uma enorme importância no resultado final, e este é o motivo pelo qual telas da mesma resolução, de modelos diferentes, te dão uma imagem melhor ou pior.

    O padrão analógico usado no Brasil é o do NTSC, que tem um total de 525 linhas entrelaçadas (486 para a parte visível). Por isso, qualquer TV LCD ou plasma no mercado fará necessariamente upscaling com este sinal, concorda?

    Qualquer sinal deste tipo, mesmo que digital (caso dos satélites, Net Digital, etc.), mostrará os problemas de fonte, quando exibidos numa tela de definição melhor, até porque inevitavelmente o usuário acaba fazendo comparação de resultados, com um sinal melhor. Um fator de grande influência nisso é a relação sinal/ruído, e que explica porque o DVD, que tem praticamente a mesma resolução do sinal do ar, tem uma imagem bem melhor, na maioria dos discos.

    O único remédio é conviver com isso, e procurar uma TV nas lojas que não comprometa demais o sinal standard. Ou então, partir para a DTV, que pode chegar a 1080i.

    Para o PS3, é claro que você vai querer dar preferência a uma tela Full HD, e atualmente as melhores opções incluem a possibilidade de reproduzir sinal de 1080p, a 24 quadros por segundo, que é o sinal padrão do Blu-Ray.

    Espero ter esclarecido suas dúvidas.

    Abraço do
    Paulo Roberto Elias.

  67. viviane disse:

    Opa… corrigindo… ele fará o downscalling?

  68. viviane disse:

    olá Paulo, acompanhei alguns posts e permanece uma duvida sobre qualidade de sinal e tvs full hd.
    O sinal standard transmitido pelos canais de tv atuais ficará ruim aparecendo defeitos numa tv que eh full hd OU a tv tem a tecnologia de adaptar a melhor imagem, mesmo quando nao utilizando sua total capacidade?
    isso é o chamado upscalling?

    Estou decidida a comprar uma full hd para usar com meu playstation 3, mas fica essa duvida de como ficará o sinal de tv satelite que tenho…
    e aí? alguma sugestao?

    Obrigada

  69. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, André Luís!

    Eu posso até estar enganado, mas não há a menor chance de conflito entre o sinal de DTV e o das operadoras, até porque elas trabalham com outro tipo de sinal!

    Eu ouvi de um engenheiro de transmissão aqui no Rio, que conhece muito bem a Net, que ela não tem banda passante suficiente para um sinal de boa qualidade de alta resolução. Eu, por outro lado, não posso ainda fazer nenhum julgamento, porque eu sou um assinante que continua com o sinal digital antigo. Mas, eu acredito que esta limitação exista. De qualquer maneira, o sinal do ar só será limitado pela qualidade da fonte, na emissora, e a julgar pelo que eu já vi, não ficaria surpreso se, em curto espaço de tempo, as pessoas achem que a DTV não teria valido a pena, o que é errado!

  70. André Luís Caldas Castro disse:

    Paulo, fui hoje a uma loja ver o preço de uma Tv com o conversor embutido, DTV. A vendedora me disse que se eu for usar e Net ou a Sky a qualidade da imagem não seria boa assim que essas empresas mudassem o decoder para digital, o que segundo ela vai ocorrer. Que o conversor entraria em conflito com os novos decoders. Essa informação procede?

    Obrigado.

  71. Paulo Roberto Elias disse:

    Herculano,

    Para conseguir 5.1 canais em Dolby no seu home theater é preciso ligar a saída ótica ou coaxial do receptor da TVA na respectiva entrada do home theater. Se a ligação for por cabo 2RCA-2RCA de áudio o som só poderá ser estéreo de dois canais.

    Presumo que o seu home theater tenha um decodificador Dolby Digital, caso contrário é aconselhável você procurar o suporte da TVA, para esclarecimentos de como fazer a ligação.

  72. Herculano da Fonseca Neto disse:

    Muito obrigado Paulo.
    pelo que entendi, se eu ligar um cabo RCA/RCA,poderei ouvir o som em 6 caixas ou mais, e em Dolby Digital.
    Paulo atualmente, com aligação que está o meu equipamento eu só escuto em estéreo as transmissões da TV. Me oriente, é possível, e é aconselhavel eu ligar o cabo RCA do Home para o decodificador da TVA. obrigado. Herculano

  73. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi, Herculano!

    Os sistemas do tipo TVA Digital ou Net Digital nada mais são do que sinais convencionais de TV, transmitidos digitalmente, para decodificadores dedicados.

    Mesmo que a sua TV seja Full HD e que você passe o sinal por vídeo componente, a imagem deverá ficar um pouco melhor, mas com a mesma resolução da imagem de TV 4:3 transmitida pelas emissoras e provedores internacionais.

    A grande maioria das TVs LCD e plasma recebem sinal analógico ou PCM, mas em apenas dois canais. Portanto, a saída de áudio do seu decodificador da TVA deverá ser ligado à qualquer TV com o tradicional cabo estéreo RCA-RCA, para a entrada de vídeo correspondente.

    O sinal 5.1 que o receptor da TVA e das outras transmitem vem normalmente por saída de cabo ótico, e neste caso o sinal costuma ser reproduzido num equipamento com decodificador (A/V receiver ou equivalente) dotado de Dolby Digital.

    Em tese, qualquer sinal digital de áudio poderia passar por estes receptores, mas isto irá depender de quem provê o conteúdo. Até onde eu sei, o sinal de áudio digital costuma ser mesmo o Dolby (2.0 a 5.1) e não DTS.

    No caso da DTV brasileira, o formato adotado foi o AAC, mas ele pode ser recodificado para Dolby, DTS ou PCM, dependendo do design do fabricante do set-top box (conversor) que você usa. Eu até já disse, em outras colunas, que são raros os processadores externos que decodificam AAC (se é que existe algum) e portanto esta economia de codec por AAC não serve para o usuário final, que já tem o seu home theater montado, capaz de usar os codecs convencionais mais usados, como o fazem a TVA e a Net, que repassam Dolby Digital.

  74. Herculano da Fonseca Neto disse:

    como é bom ter um site que venha orientar sobre um assunto tão polemico, desde já fico muito grato e venho também parabeniza-los por tais esclarecimentos, e se possível retornem as duvidas que se seguem:
    Pelo que entendi,e gostaria que me fosse esclarecido se possível.Eu recebo o sinal da TV A digital, porém, minha televisão é do modelo convencional,e pelo que entendi eu só recebo o sinal, porém como a tv é convencional automaticamente ela não reproduz o sinal digital, mesmo com o decoficadordigital, é isso mesmo?
    E se caso eu vier a comprar uma Tv Full HD TV o som é transmitido em 5:1 com o decodificador digital que eu tenho da TV A ( Eu tenho um Home Theater)
    Outra pergunta,o som não poderia ser Dolby Digital ou DTS,no sistema Full HD TV ?
    Desde já muito obrigado. Herculano

  75. Paulo Roberto Elias disse:

    Olá, Lorena!

    A sigla HDTV se refere à imagem de alta definição em geral, que deve ter, pelo padrão atual, pelo menos 720 linhas de resolução vertical.

    Quando se diz Full HD, refere-se ao fato da tela em questão ir ao máximo de desempenho em pixels que elas comportam, em varredura progressiva: 1080p. No caso, a tela será capaz de reproduzir um sinal com 1080 linhas de resolução vertical, cada uma delas com 1920 pixels.

    Note, Lorena, que toda vez que nós estamos falando em definição de uma imagem de TV, em tempos de TV digital, nós estamos nos referindo à uma matriz de pontos (ou pixels, se você quiser). Quantos mais pontos (pixels) melhor!

    Não faz muito tempo, uma tela Full HD (1080p) era caríssima e difícil de comprar, mas com o aperfeiçoamento do LCD, elas se tornaram bem mais baratas e accessíveis. Elas são ideais para sinais digitais, porém são capazes de receber sinais analógicos, até mesmo de alta resolução, como 1080i, e processá-los internamente, para exibição na tela.

    Espero ter esclarecido sua dúvida. Caso contrário, não hesite em postar de novo.

    Abraço do
    Paulo Roberto Elias.

  76. Lorena Sandim disse:

    Olá, tudo bem?

    Desculpa, mas ainda não compreendi: HDTV e Full HD são a mesma coisa ou um é melhor que o outro?

    Poderia esclarecer essa dúvida para mim?

    obrigada.

  77. Paulo Roberto Elias disse:

    Oi Leonardo,

    Gostaria, se você me permitisse, de te dar um conselho: nunca confie em informações de especificações de sites de venda, procure-as com o fabricante, nos sites e telefones de suporte.

    O termo Full HD se refere a 1080p, ou seja, 1920 x 1080 pixels, em varredura progressiva. No passado recente, o máximo que se oferecia eram telas de 1080i (sinal entrelaçado), embora, em termos de tela LCD ou plasma, não seja possível haver varredura entrelaçada, porque essas telas são todas, sem exceção, progressivas. Se um sinal entrelaçado entrar numa TV dessas, ele será transformado em progressivo, pelo processador de vídeo da TV.

    O problema é que, anteriormente, mesmo as telas de LCD ou plasma eram incapazes de aceitar sinais de alta definição com 1080 linhas já em varredura progressiva.

    Quando se usa o termo HDTV ready o que se quer dizer é que a TV é capaz de aceitar qualquer sinal de alta definição, com pequenas diferenças entre modelos, e para isso as telas são preparadas para reproduzir, por definição, um mínimo de 720 linhas de resolução vertical. Lembre-se que o sinal de HDTV de resolução mais baixa, o 720p, tem 720 linhas.

    Na hora que o sinal entra numa tela HDTV ready ele é convertido para a resolução nativa da tela.

    Se a TV fosse Full HD, aí das duas uma:

    1 – com sinais de 1080i haveria conversão para 1080p;
    2 – com sinais abaixo de 1080 linhas, haveria upscaling.

    Note que o upscaling pode ser feito também fora da TV, por exemplo, num leitor de DVD (480i para 1080i ou 1080p) e aí você pode comparar os resultados.

    No momento, para traçar comparações, eu te sugiro os novos modelos da Philips (Design Collection) ou da linha anterior em Full HD, que ainda se acha por aí, mas não espalha para ninguém, senão vão pensar que eu trabalho para eles…

  78. Leonardo disse:

    Paulo,
    muto interessantes suas matérias!
    Estou a ponto de comprar uma TV (mais provavel = SAMSUNG 40 A550), mas olhando nos sites de comparação de preços (e.g. bondfaro), aparecem algumas dúvidas: a A550 que estou vendo é full HD mas aparece como não em suporte para HDTV. Então vamos lá:

    1) suporte para HDTV = HDTV ready
    2) Pensei que full HD fosse melhor que HDTV ready. não é isso
    3) mesma dúvida para progressive scan. todas as HDTV n?åo seria progressive scan

    alguma outra sugestão de aparelo para comparar (e qual a característica mais marcante)?

    novamente obrigado,

    Leonardo

  79. Douglas Enry disse:

    É com muito orgulho que leio materiais como este.

    Hoje sou um dos maníaco por tecnologia, conhecer e entender sobre tecnologia de ponta está no sangue.

    Bom, concordo plenamente sobre os comentários e me junto a torcida do sinal com pouca compressão.

    Alguém sabe de alguma pesquisa sobre o sinal HD?
    E o Ginga? Será implementado antes da copa de 2014? Vamos torcer.

    Um grande abraço.

  80. Paulo Roberto Elias disse:

    Caro José Renato,

    Antes de mais nada, eu quero te declarar que é impossível não me sentir lisonjeado com as suas palavras, por demais generosas com a minha pessoa, podes crer!

    Quando eu comecei o Miragem e depois esta coluna, tudo foi experimental e eu já passei por crises de dúvidas se vale a pena continuar o esforço, se eu vou encontrar público interessado no que eu escrevo e principalmente se eu vou estar de acordo com as possíveis expectativas dos leitores.

    Eu torço e espero nunca ter a chance de desapontar alguém que lê os meus manuscritos. Não sendo engenheiro, em princípio nem deveria estar escrevendo sobre tecnologia, mas a vida é assim mesmo: eu conheci muito hobbyista por aí melhores do que os chamados profissionais e de minha parte eu me esforço para pelo menos me manter atualizado, coisa que muitos profissionais não fazem, e eu sinceramente não entendo por que.

    Mas, deixando isso de lado, o que eu posso te dizer é o seguinte:

    A maioria das pessoas que investe numa TV LCD raramente fica satisfeita com a imagem dos provedores de assinatura, e não se sabe exatamente, até onde eu pude pesquisar, se o problema está no processador dos aparelhos, se no péssimo sinal da fonte ou em ambos.

    Neste ponto, eu entendo que a imagem de uma tela de plasma fica bem próxima do tubo de imagem convencional, mas, note bem, isto não quer dizer necessariamente que ela seja mais correta do que as telas com LCD.

    Na Philips (seria uma Dwide?) de tubo, é bastante provável que a imagem dos provedores tivesse uma filtragem bem melhor. Parece público e notório que as telas atuais não são desenhadas com processadores dedicados ao sinal analógico do broadcasting que é, via-de-regra, muito ruim. E a melhor comparação, no caso, é mesmo com a imagem do DVD, que é standard, porém entregue sem os problemas costumeiros das transmissões por qualquer via. Mesmo os receptores digitais (Sky, Net, etc.) sofrem abusos de compressão, que são bastante visíveis numa tela decente (plasma ou LCD). É a mesma coisa que você pegar um DVD cheio de artefato e um Superbit, e comparar os dois!

    Em última análise, eu não creio que a imagem de qualquer desses sistemas de transmissão possa servir de parâmetro para se rotular um painel como bom ou ruim. Já com a DTV, a situação é bem outra. Graças a um amigo meu, eu pude fazer algumas observações e este problema que você cita simplesmente desaparece, exceto pelas habituais lambanças das emissoras de televisão. E isso nos compele a concluir que o sinal analógico do broadcasting deteriora significativamente o sinal de estúdio.

    Espero que você continue lendo as próximas colunas e aproveitando alguma coisa de útil delas. Nossa vivência no hobby é bastante parecida, mas a gente nunca sabe quando vai estar acrescentando algo de novo. E muito obrigado novamente pela leitura.

    Abraço do
    Paulo Roberto Elias.

  81. jose renato barreto disse:

    Meu Guru

    Desde ontem dia 30 e hoje 31/7 estou lendo seus artigos (que só agora descobri).

    Tenho 61 anos e comecei meu vicio em tecnologia quando com o meu primeiro salário comprei um rádio
    de pilha transistorizado, o máximo na época.

    Passei pelas fitas cassetes, montando minhas fitas com seleções de músicas e analisando os diferentes tapes (chromo, metal).

    Incontáveis dias passei no meus diferentes gravadores de cassete verificando a fita que apresentava menos chiados e tudo mais.

    Comprei inúmeros discos de vinil e fui acompanhando pelas revistas especializadas a evolução das tecnologias que pareciam num primeiro momento definitiva e depois se mostravam superadas ou absurdas (quadrifonia e outras).

    Depois da música passei para os VHS e agora obviamente estou dedicado à filmes, shows e etc. em dvd.

    Tenho a minha sala de tv, que é o canto favorito,
    com todas as cortinas, blackouts, tapetes e isolamento acustico onde assisto tudo numa LCD samsung de 40.

    Além disso sou muito exigente com os detalhes.

    Se por um lado quando gosto de algo, tenho um prazer fantástico em ficar fuçando, por outro a decepção quando algo não corresponde também é enorme.

    Mas por que to de dizendo tudo isso?

    Porque sem conhece-lo pessoalmente, a sensação que tenho é que somos grandes amigos, por gostarmos das mesmas coisas e termos as mesmas afinidades.

    É muito bom encontrar alguém assim.

    Bom, agora preciso que me tires uma dúvida.

    Antes de comprar essa LCD, eu possuia uma TV CRT philips wide de 32 polegadas.

    Quando cheguei em casa com a nova LCD, fiquei decepcionado com a imagem das transmissãos de tv
    normal e também da SKY.

    As imagens parecem lavadas e em alguns casos manchadas ou seja o rosto de uma pessoa não reflete a imagem real.

    As cores não são vivas.

    Não dá aquela sensação gostosa de ver uma imagem bonita…

    Já quando uso o DVD, aí a coisa é outra.
    Imagem fantástica, sem defeito.

    Tem a ver com transmissão analógica em um receptor digital? ou é a resolução que mostra tudo?

    Por exemplo, quando vi num plasma de 42 de um amigo, a mesma transmissão da sky, tive a sensação de uma imagem melhor, ainda que sem tanta definição.

    Qual a miragem que estou vendo? se é que me entende.

    E obrigado por você existir.

    abraços

    José Renato

  82. Paulo Roberto Elias disse:

    Fred,

    Até onde eu sei, o software que permite isso ainda não está incluso nos decodificadores à venda no momento. Eu imagino que, uma vez desatando todos os nós que amarram este assunto, a maioria dos quais a gente nem sabe quais são, o software deverá ser oferecido a quem já tem decodificador. Resta saber se isso vai ter algum custo e os decodificadores atuais têm previsão para incorporar este recurso.

  83. Fred Pacheco disse:

    Muito completo o artigo.
    Mas, outro aspecto importante e ainda esquecido no Brasil é a capacidade de interatividade da TV Digital.
    Vc saberia dizer a quantas anda este aspecto?

  84. Roberto Monteiro disse:

    Por falar em alta qualidade da antiga banda de FM estéreo, a quantas anda o HD Radio??!! Alguém sabe?

  85. João Vergueiro disse:

    Estive nos Estados Unidos recentemente e é gigantesca a compressão nos canais. Vários artefatos na imagem. Não sei se é limitação do sistema deles. Detalhe, vi compressão tanto na tv aberta quanto no cabo.

  86. Paulo Roberto Elias disse:

    Gustavo,

    Muito obrigado, e vem mais uma sobre DTV por aí! Por favor, aguarde…

  87. Gustavo disse:

    Venho acompanhando suas colunas e aprendendo muito com seus comentários.
    Parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *