Dez regras básicas para um bom atendimento

09 de janeiro de 2009, 19:10

São dicas para donos de restaurantes, mas servem para donos de e-commerce e desenvolvedores de sistema também. O que desejamos em um restaurante não é muito diferente do que esperamos de um serviço online.

Por Rafael Mantesso

Em uma das últimas edições do Fantástico na TV no fim do ano passado, a neurocientista Suzana Herculano-Houzel ensinou à chamar um garçom. Segundo ela é preciso levantar e balançar fortemente os braços para que um garçom te veja. Ainda bem que ela não é da área, por isso a besteira é permitida.

Faça o seguinte, se for num restaurante que você precise “balançar fortemente os braços” para ser atendido, não volte lá nunca mais.

A função de um bom garçom é ser atento ao menor gesto seu. Ele tem obrigação de saber o quanto é chato ficar com a mão levantada. Para quem acha que é preciso plantar bananeira para chamar um garçom, aqui vão algumas coisas básicas que um restaurante deve seguir:

São pequenos detalhes, fáceis de gerenciar e que podem causar o maior problema se não forem adotados.

1. Pontualidade. Os restaurantes devem abrir e fechar no horário em que dizem que irão fazê-lo. Acontece muito de restaurante que abre as portas sem estar preparado. Você entra e encontra lá dentro garçons sem uniforme, pessoas arrumando mesas e varrendo o salão. Existem também aqueles restaurantes que fecham antes do combinado porque o salão está vazio, deixando o cliente de última hora, que é tão importante quanto qualquer outro, para fora da casa.

2. Limpeza. Um garçom atento não é apenas aquele que atende os clientes com rapidez. Ele não pode deixar uma mesa suja, com papel, palito, água, restos. Ele deve ter atenção para não atrapalhar o cliente que está atendendo, muito menos as mesas ao lado. Spray não funciona, de preferência, deve-se colocar o líquido num pano limpo e depois passar sobre a mesa. Há ainda aquele garçom que abusa do perfume. Estes odores são ofensivos e podem pôr a perder a qualidade da comida. Um garçom deve ser discreto.

3. Mesas e cadeiras. As pessoas não estão dispostas a tentar equilibrar um copo de bebida ou fazer malabarismo pra cortar uma carne enquanto a mesa balança. Todo gerente tem a obrigação de sentar em cada cadeira e mesa do restaurante e certificar-se que estão em ordem. E sem pedaços de papelão ou bolachas de chopp embaixo dos pés dos móveis para acabar com o desnível.

4. O garçom é um vendedor. Quando vamos a uma concessionária comprar um carro temos a impressão que o vendedor é um piloto de fórmula 1. Ele consegue falar com a maior empolgação sobre como são especiais as velas e sistema de embreagem daquele carro. Ele tem obrigação de saber. Uma equipe de garçons deve ser assim. Deve saber exatamente como são preparados os pratos.

A frase “Vou perguntar ao Chef” é lamentável.

Da mesma maneira quando os clientes perguntam “O que é melhor?” e o garçom responde “tudo é bom”, significa que ele não come no restaurante. Então, por que o cliente deveria fazê-lo?

Os clientes esperam sinceramente por um conselho da equipe que deveria conhecer os pratos e que esta experiência seja passada a eles.

5. Equipe. Garçons, auxiliares e gerentes desatentos podem enterrar uma experiência que poderia ser espetacular. Muitos restaurantes trabalham com “praças”, onde cada garçom é responsável por um determinado número de mesas.

Isto é uma maneira prática de coordenar o atendimento, mas não quer dizer que se o cliente de uma praça chamar o garçom de outra praça ele não deve atendê-lo. Isto é mais comum do que se pensa – garçons que não se preocupam com o atendimento do restaurante ficam presos às suas seis mesas.

6. Restaurante é lugar de trabalho. O que nos incomoda muito é o amadorismo do setor. Não é de se assustar quando vemos o dono de um bar ou restaurante aos berros com algum funcionário na frente de todos. Isso é constrangedor paro funcionário e paro cliente, que não está pagando pela baixaria. É comum também ouvir queixas do garçom sobre o patrão, sobre a empresa. Lembre-se: um cliente não vai ao restaurante para fazer terapia. Faça um teste e pergunte a eles se gostam de trabalhar ali. Esteja disposto, pois eles vão lhe contar todos os seus problemas.

7. Reposição. Quando vamos comer numa churrascaria, não ficamos levantando a mão para pedir carne. A reposição é automática, algumas tão rápidas que parecem querer nos apressar. Quando o restaurante oferece a possibilidade de repor o produto, deve-se estar certo de que esta reposição chegará até a mesa continuamente. É obrigação de todos fazê-la. A proximidade da equipe sempre funciona. É desgastante ter que solicitar reposição toda hora.

8. Site. Está na moda ter site. O dono do restaurante paga uma mixaria para o sobrinho que desenvolve uma logomarca e cria seu site. O conteúdo nunca é atualizado. O cliente entra, vê os pratos, vê os preços e na hora de pedir o prato, ele não existe ou o preço dobrou. Ter um site não é pagar para o sobrinho. É atualizá-lo sempre.

9. Telefone. O cliente não tem que esperar no telefone por informações básicas. Qualquer responsável por atender o telefone deve saber na ponta da língua essas informações. Não oferecer as informações básicas sobre sua casa é mandar o cliente para o concorrente

10. Conta. Você oferece uma comida primorosa, o serviço é espetacular, e aí, tudo vai por água abaixo. Porque a conta demora tanto a ser fechada? É lógico que não se deve apressar os clientes, mas, ao mesmo tempo, o serviço não está completo até o momento em que o cliente deixa o restaurante. Muitas casas parecem imaginar que, uma vez servido o prato principal, sua obrigação acabou. Nada pode estar mais longe da realidade do que isto. [Webinsider]

.

Avalie o artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (8 votes, average: 3.88 out of 5)
Loading ... Loading ...
Sobre o Autor:

Rafael Mantesso (mantesso@gmail.com) é especializado em marketing e criatividade em restaurantes e mantém o blog Marketing na Cozinha.

Palavras-chave relacionadas a este texto: [Comunicação corporativa] [Formação profissional] [gestão] [publicidade] [Vendas]

Deixe um Comentário

Abrir Formulário









Comentários

35 comentário(s)


[ 1º ]
EdmilsonSantos

Data : 29/01/2014 às 10:38
Cidade: Salvador - Bahia
Atividade: Garçom - freelancer

Já trabalhei em um local que me perguntaram se eu era encarregado pelo mesmo. Respondi não ele esta lá dentro. E lembrando que estamos lidando com clientes não com amigos.

Data : 26/03/2013 às 21:12
Cidade: ponta grossa
Atividade: garçom

RAFAEL
SEU TEXTO E MUITO BOM,PENA QUE OS DONOS DE RESTAURANTES,NAO SABEM LER...NAO FAZEM IDEIA DA PALAVRA RESTAURANTE,NEN A IMPORTANCIA DO GARÇOM,MAS GOSTEI DO DEBATE...GILSON

[ 3º ]
samuel

Data : 12/11/2012 às 11:21
Cidade: piripiri - piauí
Atividade: Bar

Adorei suas dicas, simples porém muito importantes. pequenos erros que podem ser concertados e fazem grande diferença.
Valeu pelas informações

[ 4º ]
Edson

Data : 16/08/2012 às 02:13
Cidade: goiania
Atividade: GARÇOM

Amigo Rafael, gostei muito de suas dicas para nós que trabalhamos neste ramo. Vão aqui algumas dicas para ser bem atendido em qualquer lugar q voce for: quando chegar ao estabelecimento cumprimente a pessoa que esta lhe recepicionando, nao passe como se estivesse passando por uma arvore ou um poste, isso nos faz sentir muito mal.

Nunca estale os dedos para chamar a atençao de quem esta lhe atendendo (ninguem gosta). Quando o garçom falar com voce, responda, nao finja de surdo. Trabalho a muitos anos nesta profissao e posso te afirmar nao somos profissionais invisiveis. Valeu pelas dicas. Espero que voce seja um bom cliente que nao estale os dedos que nao nos ignore e que nao nos trate como INVISIVEIS Obrigado

[ 5º ]
Danielle

Data : 02/07/2012 às 05:33
Cidade: guaratingueta
Atividade: Hostess

Adorei a linguagem, leve e direta com que usou para explicar funções básicas que fazem toda a diferença. Obrigada pelo esclarecimento.

Data : 29/06/2012 às 11:25
Cidade: vila velha es
Atividade: garson

olhe estão de parabéns boa dicas estava precizando de umas dicas dessa gostei trabalho de garçon e essa e pura realidade o garson tem que estar sempre atento para dar o melhore de se ser um profissional e nao um simples vendedor tem que honrar sua profissao para que aja respeito com o mesmo foi boa a dica

Data : 22/06/2012 às 17:49
Cidade: sao jose do rio pyreto
Atividade: garçon de final de semana

ola gostei muito do artigo parabens sempre que tiver algun artigo falando sobre auto atendimento manda pra mim ficarei muito feliz obrigado

Data : 28/03/2012 às 20:48
Cidade: Curitiba
Atividade: Caixa

Boas dicas

Data : 22/03/2012 às 10:28
Cidade: Itajaí
Atividade: Recepcionista

Muito boa essas dicas parabéns

Data : 28/02/2012 às 13:31
Cidade: Goiânia
Atividade: gestor administrativo e garçom

olha gostei muito das dicasé vejo que é preciso a cada dia se aperfeisuando mais , nunca se tornara de mais o que aprendemos.

[ 11º ]
Ricardo Ferreira

Data : 22/02/2012 às 19:45
Cidade: Mogi das Cruzes
Atividade: garçom.

Trabalho de garçom desde 1987, quando terminei o curso no senac em Aguas de Sao Pedro,mas desde que conheço, os 10% foram do garçom, claro que isto,nao e obrigatorio e sim opicional,mas depois que optaram por ser opicional , isso causou iuma desmotivaçao, da classe,hj tbm muitos restaurantes trabalham com self service,e muitas vzs nao se mais garçom,e sim pessoas que retiram pratos da mesa,muitos buffets trabalham com modelos. eu pguei o tempo ainda da garvata borboleta faixa , camisa piquet, paleto branco ; servia a comida no prato pro cliente,podia ser uma mesa de ate 10 pessoas todos eram servidos.Na hora de retirar o prato perguntava ao cliente , esta tudo do seu gosto? muitas vzs alem dos 10% saia ainda uma caixinha. tempo bom,hj muitos estabelimentos cobram 10% e nao repassam , ou divide com todos , mas se um cliente sair sem pagar , quem paga, e quem? o garçom. mas quem vai ao restaurante e e bem servido sempre paga , ou entao deixa uma gorjeta,e assim vamos trabalhando.

Data : 07/02/2012 às 12:22
Cidade:
Atividade:

[...] Mantesso (Marketing na Cozinha) com 10 regras básicas para um bom atendimento. O artigo é de janeiro de 2009 extraído do blog Webinsider, mas o texto ainda é bem [...]

Data : 23/06/2011 às 16:36
Cidade:
Atividade:

otimo texto voce e mesmo uma pessoa esperta sabia para ser um bom garçom não prescisa ser rápido
tem que ser educado esperto e delicado
pois as nossas contas para ser paga prescisamos do cliente para nos ajudar
para pagar os nossos funcionarios prescisamos do pagamento do cliente
enfim nos temos que tratar os nossos cliente como se eles fossem nossos reis ou rainhas
tratando os nossos clientes da melhor maneira e performance que nos podemos oferecer alem dos preços baixo
é importante que para sermos boms garçons e termos bom nome no restaurante não é presciso quantidade mais sim qualidade

[ 14º ]
Apolonio

Data : 27/04/2011 às 02:38
Cidade:
Atividade:

Alexandre Vieira

Me Desculpa por ter que lhe falar isso!!!



Voce e um daqueles que no final da conta sempre acha um motivo de reclamar e nunca pagar o serviço???
Fico muito Feliz Quando alguns não querem pagar o serviço pois ele estar precisando muito...
Mas sempre aparecer uns que nos deixam em dobro do que vcs deixam de nos pagar isso e muito gratificante...
Vou contar uma pequena critica que ocorreu comigo...


Um dia de Domingo chegou 04 pessoas então sentei-los a mesa Fizeram seus pedidos a mim com clareza Mas senti que a Senhora tinham alguma duvida mas não quis me esclarecer de fato para não incomodar-la...
Mas no decorrer do serviço As carnes vinheram no ponto indesejavel da senhora pois todos queriam as carnes Ao ponto mas a senhora queria suas carnes bem passadan então meado da historia começou a me criticar, desacatar, xingar etc...
Mantive minha calma Respirei profundo e pedir que Deus me desse um pouco mais de paciencia...
Ela no momento relatou que todos os Restaurantes que frequentar acontece a mesma coisa então pedi lincensa e lhe Falei com muita Franqueza que o problema não estava nos lugares que ela frequentava mas sim na sua pessoa...
Pois a senhora baixou a cabeça pensou em seguida me pediu desculpas pelos pequenos verbos que tinha me dito pois ela tambem trabalhava em uma area que era muito dificil Tinha que lidar com publicos diferentes, entao ela passou a ver que eu passava por esses momentos constantemente mas mesmo assim tinha muita calma...
Ela me perguntou...
- O que voce faz para aguentar todo esse publico de pessoas que so sabem criticar???
-Peço a Deus Paciencia para que possa aguentar por mais um dia.Acaba tudo bem...
-Mas voce sempre acaba seu dia chateado???
-Não, pois tenho que levar um pouco de Paz para meu lar...
-Voce me desculpas por tão minha ignorancia???
_Antes mesmo de voce me pedir isso já tinha desculpado voce, pois como lhe disse sempre peço um pouco mais de paciencia a meu Deus...


Isso foi muito importante pois a maior Dadva e a paciencia sem ela voce nunca consiguirar chegar em lugar...
Mas tenho comigo que a Educação e uma chave que abre todas as portas para um bom atendimento...
-

[ 15º ]
Apolonio

Data : 27/04/2011 às 02:01
Cidade:
Atividade:

Meu caro Gleydson Moreira tenho que concordar com voce plenamente.Pois exerço a profissão por 07 anos ja vi um pouco de tudo que se passa em um Restaurante...
Temos que aguentar varias criticas sobre o que se passa por um Restaurante...Isso fica apenas para o Simples garçom...
Muita das vezes já fui humilhado por Ignorantes que se acham ser superior a todos.Nunca sabem eles que somos pessoas simples que estamos ali por precisar de um emprego como eles também precisam dos deles...
Na maioria dos Restaurantes a mão de obra e de Nordestinos.Algumas pessoas gostam de nossa origem mas sempre aparece um ou outros que passam para nos criticar ate mesmo nos debochar...
Pois estou nessa area por não ter uma outra opção que me paguem bem como garçom...Pois não tenho muito estudo...Mais mesmo assim sou muito Feliz pois e de lá que trago o pão de cada dia que coloco na mesa para sustentar minha Familia...
Agradeço a todos aqueles que compreenderem e pagar os 10% do serviço pois esse e muito importante para sustentar minha Familia...
Quando sobra um pouquinho sempre mando um algum para minha pobre Mãe que mora no sertão cearense...

[ 16º ]
Gleydson Moreira

Data : 03/12/2010 às 17:50
Cidade:
Atividade:

Desculpe-me ilustríssimo amigo Alexandre vieira, irei discordar de vossa senhoria em gênero numero e grau! Acho que não devo ter me expressado de maneira correta. A minha ênfase em dizer que os 10% são do garçom (Não é obrigatório é opcional) e deveria ser mesmo!
Empregado de mesa (português europeu) ou garçom (português brasileiro) (do francês garçon, "rapaz") são os funcionários que trabalham em restaurantes ou bares servindo comida e bebida ao clientes. Sua renda vem não só através de seu salário como também através das “gorjetas” (pode se entender como 10% ou uma simples gorjeta mesmo).
Nos Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Brasil e muitos outros países do Ocidente e em partes do Oriente Médio, é habitual que os clientes paguem uma gratificação para um servidor (Garçom)após uma refeição. 15% é considerado normal nos Estados Unidos, com um pequeno aumento para 30% no Canadá e Áustria, dependendo do nível de qualidade do serviço. No Brasil, é comum clientes ofertarem 10% aos profissionais da área. Em algumas situações, uma "taxa de serviço" será incluída na conta do restaurante. Também chamado de gratificação, uma taxa de serviço "será automaticamente aplicado para situações em que a gerência do restaurante impõe isso para garantir que os servidores trabalhem em diversas situações. Essas taxas de serviço são geralmente em torno de 18%; uma taxa voluntária adicional é dada às vezes. Há um certo debate nos Estados Unidos em torno desta taxa. Alguns argumentam que 15% ou 20% é o mínimo. No entanto, algumas pessoas ainda acreditam que a taxa imposta por alguns restaurantes é uma forma de transferir a responsabilidade de pagar salários dos servidores aos clientes. Estas são questões regionais, culturais e muito subjetivas.
Em contrapartida, os clientes e servidores da área no Japão recusam-se a dar e receber gratificações, pois não é um costume japonês.
Vou colocar o meu pensamento em uma outra área não quero mudar seu pensamento ( de forma alguma, quelquer pessoa é livre para pensar e opinar em qualquer área ou fundamento só que... também tem que esta preparado para escutar) para que fique claro o que penso. Imagina se uma pessoa que estudou para ser medico, advogado, dentista, engenheiro tivesse que dividir o que ganha com sua “Equipe” (secretaria, auxiliares, copeira, auxiliar de serviços gerais e outros etc...) você acha que seria justo? E nenhum momento não falei qual era a função ou deveres de um profissional! O que estou dizendo é quase histórico (tradicional) então se eu fiz um curso para ser Garçom ou escolhi esta profissão para mim foi em função dos 10% ser ( isso meu amigo já existe bem antes de nos termos nascido entendeu...). Não sou um hipócrita gosto do dinheiro, sem ele não pago minhas contas e vou lhe falar mais uma coisa. Um funcionário motivado é um funcionário bem pago...ele ira vestir a camisa e com certeza dar o sangue pela empresa. Não acredito e nem acredite se alguém bater em sua porta e pedir uma oportunidade de emprego e dizer que trabalha por um pouco dinheiro ou ainda que trabalha porque ama a profissão. A verdade que trabalhamos por Dinheiro (ele me oportunidade de qualificação e outros benefícios).
Abraços

[ 17º ]
Alexandre Vieira

Data : 30/09/2010 às 21:40
Cidade:
Atividade:

Falando do seu texto, achei de extrema importância.
Muitos desses problemas que a área de A&B possui é devido a área não ser valorizada, porque a profissão sempre foi discriminada, devido as pessoas que exercem a profissão não tem estudos e não possuem cursos de aperfeiçoamento, não incluo cursos de manipulação, que é exigência da ANVISA, digo cursos de copa e salão, etiqueta, linguas, relacionamento interpessoal, existem no mercado muitos cursos nesta área, mas poucos aproveitam, porque é muito caro e o retorno é lento, aliado a falta de tempo, termo muito usado na área...
Se todos procurarem pelo Brasil... existem escolas técnicas no setor de A&B gratuítas, mas pouco procuradas, acredito que seja um desperdicio de dindin público, se existem os cursos... todos da área deveriam realizar e os donos de restaurantes exigirem e ajudarem, não ficaram chorando que a área não tem profissionalismo, porque são os primeiros a contratarem o primeiro que está na fila dos desempregados e dizer para fazer isso e aquilo e já se acham garçom.... garçom é muitos mais que levantar uma bandeja é olhar para o cliente e lhe dizer com os olhos que está em sua casa e apartir de agora tudo terá harmonia.
Lembre-se que o ato de servir é algo que trás sociabilidade, prazer, novas amizades e respeito com o outro.
Como estou nessa área, não posso deixar de colocar para o nosso amigo Gleydson Moreira, que um restaurante é uma equipe e é justo os 10% sejam distribuidos com todos na casa, afinal é para o serviço e todos trabalham em prol do grupo, se é o garçom que leva a porrada é ele responsável em levar junto o sorriso junto com o Alimento ou Bebida ao cliente... sobre levar porrada do alimento mal feito, é obrigação também conhecer os pratos e se tiver algo de desacordo é primordial falar para o setor de cozinha que o prato está errado e não deixar o cliente reclamar, se antecipe, essas são as maiores funções do garçom, antecipar, cordial, asseio, parcial, psicólogo, destreza e acima de tudo saber ouvir. abraços...

[ 18º ]
valmir da silva

Data : 26/04/2010 às 14:14
Cidade:
Atividade:

Gostei de todas as dicas,com certeza passarei para todos meus colegas. obrigado!

[ 19º ]
vera

Data : 25/02/2010 às 06:54
Cidade:
Atividade:

muito boa essa materia esta me ajudando muito no meu atendimento .

[ 20º ]
Gleydson Moreira

Data : 17/02/2010 às 18:46
Cidade:
Atividade:

Cada dia esta mais difícil trabalhar nesta área (Garçom). Como todo o profissional que se preza temos que nos qualificar anualmente (isso deveria ser lei para que o empregador quando fosse cobrar o melhor atendimento ao cliente e tivesse como uma base a manutenção do seu funcionário também) mais muitos patrões que só visam os lucros não querem se dar o trabalho ou melhor dizendo, investir para poder qualificar e deixar o mesmo com total qualificação no cargo que exercem. Mais a questão em debate é: os 10% do Garçom... Quando comecei nesta carreira de garçom e diga de passagem foi por conta de uma extrema necessidade financeira, achei bem atraente saber que poderia receber a gorjeta, tendo em vista que a maiorias dos Restaurantes e Bares aqui em Belém do Pará não querem pagar o salário da categoria e na grande maioria, pagam apenas um diária que varia de R$20,00 a R$40,00 e isso sem contar que quando pagam a diária. Você não tem direito a receber os 10% . Sem contar que trabalhei em lugares que os 10% era dividido com o restante dos funcionários e o que eles alegavam é o seguinte que o garçom não faz tudo sozinho correto!? Mais o engraçado para não dizer irônico e dividir uma caixinha ou os 10% com o chefe de cozinha que ganha um salário bem elevado em relação ao do garçom e sem contar que quando algum cliente não quer pagar a conta ou o mesmo empreita em disparada em fuga é o garçom quem paga o mesmo! São fatores que acho grotesco. Vejamos da seguinte maneira, se você esta querendo ocupar um cargo você tem que se qualificar e saber que vai ganhar um determinado salário. Agora porque que tenho que dividir os 10% (que diga de passagem não é obrigatório é opcional) com mais gente e olha que trabalhei com donos de restaurante que não repassava a gorjeta que já vinha discriminada na comanda para os garçons (um verdadeiro roubo).lidamos com um produto que é extremamente instável (o cliente) e quando acontece de a comida não esta de ao agrado do mesmo ou até a bebida, musica e etc.. Somos o primeiro elo da empresa a receber a critica direta (geralmente nestas horas os gerentes e metres se escondem literalmente) e deixa o garçom pegar toda esta carga negativa e o mesmo ainda tem que ter um jogo de cintura gigantesca para não deixar o cliente mais estressado do que ele já está. Lógico que não concordo que todos os Garçons devam receber os 10% porque em todas as classes também existem os profissionais de péssima qualidade, se lhe atenderem bem e você não poder dar os 10% ( as vezes é uma quantia extremamente alta) de uma gorjeta, simples... Mais não vamos tirar o brilho que me fascinou um dia. Ninguém quer apenas um abridor de garrafas que chama de meu patrão para seus clientes. Vamos investir no profissional e capacitar o mesmo e deixe os 10% na mão do Garçom e para finalizar vou relatar como acontecia de maneira organizada e honesta onde trabalhei (Bar e Restaurante Trapiche e também no Higashi) quando os 10% vem limpo para as mãos do garçom geralmente ele pega uma parte de seu dinheiro que ganho suadamente e divide com a cozinha, serviços gerais, cumins e etc... Assim eu acho justo. É o garçom quem tem que dividir. Para finalizar tem Restaurante que fica com 2% para manutenção da casa... Brincadeira minha gente se você abre um restaurante sabe que copos podem cair e se quebrar e o que o pobre garçom tem que pagar por isso??Bom só alguns fatos de minha vida que faço questão de repassar e que sirvam para os donos ou algumas pessoas que queira abrir alguma coisa no ramo refletir sobre este assunto.

[ 21º ]
Mayara da Silva

Data : 04/02/2010 às 19:37
Cidade:
Atividade:

Adorei,consegui enteder tudo.Com essas dez dicas eu posso termina minha pesquisa sobre garçom que estou fazendo,agora posso termina sem medo de errar.obrigado.

[ 22º ]
felipe

Data : 06/10/2009 às 13:26
Cidade:
Atividade:

meu atendimento é baseado em todas essas questões relacionadas ao texto na verdade eu e minha equipe
não gostamos de serem considerados como garçom ou tirador de pedidos mas sim como atendente vendedor de diversos produtos variados com o conhecimento completo de cada um deles!!!

parabens pelo texto e as relações utilizadas realamente e infelizmente são bastante reais !

Data : 07/07/2009 às 11:45
Cidade:
Atividade:

adorei muito bem formulado...
todo dono de restaurante deveria seguir a risca essa regras...
obrigado...

[ 24º ]
Aurilanny

Data : 02/07/2009 às 13:34
Cidade:
Atividade:

O mais interessante é comparar o restaurante com uma concessionária. Aqui vou fazer o inverso em um treinamento com minha equipe de vendas....Parabéns pela matéria.

Aurilanny

Data : 25/03/2009 às 19:28
Cidade:
Atividade:

MUITO BOA A INICITIAVA DE TRANSMITIR ESTAS DICAS,GOSTARIA QUE MAIS PESSOAS LIGADAS A AREA TAMBEM DESSEM ALGUMAS DICAS, QUEM SABE ASSIM, PODERIAMOS MONTAR UM MANUAL ONLINE PARA NOS AJUDAR MUTUAMENTE.

[ 26º ]
otto leite

Data : 15/02/2009 às 09:42
Cidade:
Atividade:

e isso mesmo que tento passar as meninas que trabalham no meu cafe .mas nao sei como passar melhor vc teria um encarte ou um guia que vc pudesse me enviar eu paria as despesas de corrreio poderia entrar em contato comigo por fone para passar minhas informacoes o fone e 19-34932488 ligue a cobrar tudo bem pra mim e de meu interesse poes eu nao tenho tempo pra internete e nem sei trabalhar co,m isso por favor obrigado cafe urso branco rio das pedras

[ 27º ]
josemy

Data : 19/01/2009 às 09:48
Cidade:
Atividade:

gostei de tudo que vc disse principalmente quando vc falou do progama de tv e da neurocientista valeu.

Data : 13/01/2009 às 17:03
Cidade:
Atividade:

Muito bom o artigo! É incrível como a semelhança entre o mundo on-line e um restaurante seja tão grande. Aqui vale ainda a reflexão: ao entrar em um restaurante, todos nós já sentimos o clima do local, e de uma forma bem rápida sabemos se é agradável, seja pelo cheiro, cor da parede ou aspecto geral do ambiente. O mesmo vale para um site: um projeto com alma é sentido assim que a index.htm é carregada, transportando para o visitante sensações que o farão decidir se vale ou não a pena voltar a visitar aquele site, conquistando a disputada fidelização dos cliques.

[ 29º ]
Celso Bessa

Data : 13/01/2009 às 14:51
Cidade:
Atividade:

Rafael, muito bom o seu artigo. Incrível que é, como quase tudo que é importante, é um tanto quanto óbvio, e ainda assim, a maioria não enxerga isso.

Escrevi, tempos atrás, um texto mencionando dois casos no ramo de restaurantes e similares, muito mais informal, mas que apresente bons exemplos dos ítens que citou.

Eu ficaria contente se lesse e comentasse a respeito.

http://celsobessa.wordpress.com/2007/08/27/excelencia-nos-negocios-o-core-business-da-kebab-salonu-e-confeitaria-monte-libano/

braços

Celso Bessa

[ 30º ]
Lucas Selbach

Data : 13/01/2009 às 13:04
Cidade:
Atividade:

Rafael, excelente contribuição.
Eu tive a grata experiência de dar uma pausa nos meus trabalhos de consultoria em TI para ser garçom internacional em cruzeiros. É exatamente isso.
Em termos de serviço temos muito a aprender - iniciando em bons restaurantes.
Sugiro que os colegas da área vão a um restaurante sofisticado e observem os detalhes. Funciona.

Grande abraço e parabéns.

[ 31º ]
waldemar

Data : 11/01/2009 às 09:58
Cidade:
Atividade:

Parabéns Rafael, seu texto é perfeito, principalmente com referência a ítem 2 - Pois ele é abrangente já que a higiene além de agradar os olhos é quetão de saúde.

[ 32º ]
Luciano Ayres

Data : 11/01/2009 às 00:22
Cidade:
Atividade:

Oi Rafael,

Excelentes observações. O amadorismo no setor gastronômico realmente causa muitos aborrecimentos ao consumidor.

Quando vou a um restaurante, desejo ir embora apenas com boas recordações sobre o sabor da comida e o conforto do ambiente, e não com queixas sobre a qualidade do atendimento.

Muito bom o post.

Abraço,

Luciano Ayres
http://blog.lucianoayres.com.br

[ 33º ]
Waldemar

Data : 10/01/2009 às 21:28
Cidade:
Atividade:

Parabéns Rafael, seu texto é perfeito,principalmente em relação ao ítem 2- Pois ele é abrangente, já que a higiene além de agradar aos olhos é também uma questão de saúde.

[ 34º ]
Lucas de Castro

Data : 10/01/2009 às 11:49
Cidade:
Atividade:

Adorei!

Tem uma coisa que eu gosto muito também, é quando o garçom lembra do último pedido ou das minhas preferências.

Parabéns pelo texto, Rafael.

[ 35º ]
Imaculada

Data : 10/01/2009 às 08:16
Cidade:
Atividade:

Muito interessante o texto.
Realmente é desagradável ficar balançando os braços à espera do garçom, ficar cochilando na mesa à espera da conta e, como disse o autor ficar fazendo malabarismo com a faca porque a mesa balança.