O Facebook marketing está apenas começando

Nova Escola de Marketing
04 de maio de 2011

Há lugar para a sua empresa no Facebook. Fortalecer a presença lá deve ser encarado como mais um passo de sua estratégia de marketing digital.

A mais recente pesquisa da ComScore revelou que a quantidade de usuários do Facebook no Brasil chegou a 19 milhões de pessoas em março, número três vezes maior do que o registrado no mesmo período do ano passado. Se continuar nesse ritmo, o “Face” (como gostam de chamar os mais íntimos) tomará o lugar do Orkut como rede social mais usada pelos brasileiros.

Fenômeno semelhante ocorre em outros países, como os EUA. Lá, nem mesmo a News Corp., uma das maiores empresas de mídia do mundo e dona do MySpace, conseguiu segurar a ascensão do Facebook, que já reina absoluta. Pesquisa da empresa Edison Research, 51% dos cidadãos americanos com mais de 12 anos tem perfis no Facebook.

Para os negócios, esta tendência significa um impacto semelhante ao provocado pelo Google pouco mais de uma década atrás. Ou seja, a criação de um revolucionário modelo de publicidade online que trará oportunidades para empresas dos mais diversos portes e segmentos.

Tanto que na terra de Barack Obama já existem companhias que estão abandonando seus sites institucionais para se concentrar em fan pages, exemplo já seguido pelos mais ousados no Brasil, caso da agência de publicidade África.

Há três boas razões para acreditar que o Facebook tem condições de se tornar uma nova plataforma de negócios na internet, rivalizando com o Google.

Primeiro pela grande escala mundial de usuários, que cresce a um ritmo acelerado. Segundo porque vem se mostrando bastante lucrativo e, portanto, sustentável (o site levantou US$ 1,9 bilhão em 2010, enquanto o faturamento do badalado Twitter não passou de US$ 45 milhões).

Terceiro, e o mais importante para as empresas, é que a cada dia a rede de Mark Zuckerberg vem se aprimorando como plataforma de mídia, marketing e negócios.

Ao contrário de outras redes como o Orkut, desde o início a proposta do Facebook foi mais “amigável”, para que as empresas se relacionassem com os participantes de forma natural, sem grandes apelações comerciais e de propaganda.

O que a equipe de desenvolvimento do site vem fazendo é aperfeiçoar o acesso e as formas de interação. E, pelo que mostra o crescimento da plataforma no mundo corporativo, marcar presença no Facebook certamente parece ser um bom negócio.

Algumas das vantagens mais evidentes são:

  • Estar presente na rede social que mais cresce no mundo e que conta atualmente com 600 milhões de usuários.
  • Atuar em uma rede social como uma “pessoa jurídica” e não disfarçada de “pessoa física” como em outras redes, conferindo mais naturalidade e transparência ao diálogo.
  • Disponibilizar diversos aplicativos e games, que podem ser incorporados à fan page como forma de interação com os visitantes. Estima-se que hoje nada menos do que 2,5 milhões de desenvolvedores criem aplicativos para a rede.
  • Integrar de forma mais natural, dentro de sua fan page, outras mídias sociais complementares, como o YouTube, Flickr, Twitter e blogs, facilitando o acesso dos “fãs” a estes conteúdos e aumentando a interatividade.
  • Disseminar mensagens virais, por meio dos comentários.

Gostou desse artigo? Clique em Curtir e não só seus fãs no Facebook mas também em outras redes sociais dos quais você participa também ficarão sabendo. Esse recurso, o Facebook Connect, rapidamente copiado por outros grandes sites como o Google e Yahoo!, permite que o conteúdo de qualquer site se torne social.

Então quer dizer que o negócio é aposentar meu site e partir para o Facebook direto? Calma, também não é assim.

O site institucional continua sendo muito importante no Brasil. Embora não tenha a fluidez das redes sociais, continua sendo a principal referência de uma empresa na internet, transmitindo credibilidade justamente por sua “solidez”. Por esse motivo acredito que ainda vá ter vida longa, embora deva sem dúvida passar por uma evolução até ser totalmente incorporado ao ambiente social da web.

Fortalecer a presença no Facebook deve ser encarado como mais um passo da empresa em sua estratégia de marketing digital. Assim como outras ações nas redes sociais, os resultados nesse tipo de empreendimento devem ser pautados pelo conhecimento do público-alvo, definição clara dos objetivos, planejamento, definição de uma estratégia própria e monitoramento dos resultados.

Pelas características da rede, o Facebook é o ambiente perfeito para disseminar rapidamente novidades relacionadas a lançamentos, campanhas de engajamento e para relacionamento direto com o público. Nesse sentido, o site norte-americano Mashable publicou um artigo esclarecedor mostrando as estratégias diferenciadas e bem-sucedidas de cinco grandes marcas (Cola-Cola, Pringle’s, Adidas, Starbucks e Red Bull) para conquistar o público das redes sociais.

O Facebook Marketing está apenas em seu princípio e, longe de esgotar o assunto, este artigo tem por objetivo ser um ponto de partida, contribuindo para que os empresários e profissionais de marketing comecem a planejar como inserir suas empresas de vez nas redes sociais. [Webinsider]

…………………………

Conheça os planos de hospedagem da HostLayer.

Acompanhe o Webinsider no Twitter.

Avalie este artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

9 respostas para “O Facebook marketing está apenas começando”

  1. Yuri disse:

    Matéria muito bem elaborada,
    Estou presente em todas as mídias sociais possiveis buscando estar sempre interada com máximo possivel de informações.
    Acredito sim que o (FB)Facebook seja a plataforma de comunicação de maior público no Brasil de deixando assim o nosso preciso Orkut na memória,mas não descarto a importância dos sites que sempre mantém maior quantidade de informações necessárias para os nossos clientes e futuros.As mídias sociais na verdade podem abrir as portas para negócios,mas creio que como foco corporativo é ter uma comunicação mais próximo do que aquele chato “Prezado Sr…”

  2. Marcelo disse:

    Honestamente dizer que o Facebook é um lugar para bater papo e brincar é no mínimo falta de conhecimento do potencial do produto.
    É uma tendência mundial que as pessoas adquiram produtos baseados baseados em reviews (Like?).
    Estariam erradas empresas como coca-cola, Nike, Disney ou Tecnisa vendendo apartamentos no Facebook?

    Hoje eu uso intensamente o Facebook e anuncio nele também. Posso garantir uma coisa: Funciona.

    Abraço a todos

  3. @APRECIAMOS CONCEITOS disse:

    Isso é a mais pura verdade meu amigo…

    Hoje estar na web é mais que estar em um site institucional, mas sim gerar conteúdo de qualidade. É por isso que apreciamos conceitos bem trabalhados e passados como nas escolas Vancouver Film School, Animation Mentor e a nova “brazuka” – Delantver | http://www.delantver.com

  4. Eridan Mesquita disse:

    A matéria é excelente, porém na teoria as coisas são bem mais fáceis que na prática. Eu tenho perfil no facebook e participo direto, infelizmente ainda não tive a oportunidade de ter uma conversão se quer nas minhas divulgações e, tão pouco fui informado que algum amigo tenha conseguido. Como aprendi que devemos teimar mais nunca apostar, continuo por lá, afinal com excersão das publicidades colocadas em meu perfil no resto não estou perdendo nada.

  5. Fantásticos e por que não assustadores os números apresentados na matéria!
    http://www.tradevalle.com.br/

  6. Meundo disse:

    Sinceramente, o Facebook não é nada mais do que um lugar para brincar e batendo papo, igualzinho a rua ou o video game na vida real.
    Nada mais nada menos.
    Não sei porque todo mundo quer entrar no Facebook, eu mesmo não veja vantagem nenhum.
    Comparamos o Facebook com o ORKUT, vimos a mesma coisa, ORKUT aqui no Brasil foi nenhum pouco importante para fazer negocios ou marketing.
    Pois a busca ainda continuar e vai continuar nos sites de busca, independemente aonda os usuarios estão registrados, eu mesmo estou registrados em 8 forums de diversos assunto, estou no Twitter e em outros redes sociais presentes, alem sou leitor de inumeros jornais e revistas e visitantes de mais de 50 site mensalmente na internet sobre diversos assuntos.
    O Facebook na realidade não mudou em nada ate agora e não vai mudar em nada futuramente, pois somente uma plataforma a mais para brincar joginhos online e batendo papo.

    Cai na realidade, gente.

  7. Bernardo Cruz disse:

    Interessante o artigo, porém é preciso tomar cuidado com alguns equívocos. O fato do Facebook ter se tornado a maior e mais promissora rede social do mundo não à faz ser um canal eficiente para o comércio em geral.
    Já existem diversas pesquisas que mostram que o percentual de conversão de usuários para consumidores nas redes sociais é extremamente baixo em comparação com mecanismos de busca e o nosso bom e velho companheiro, o email.
    Entendo que o Facebook é um veículo publicitário com potencial altíssimo, porém não é a melhor opção comercial. O que o torna complementar, e não soberano.

    Abraço

  8. Bruno Blankenburg disse:

    O Facebook (FB) querer ser a principal plataforma digital é uma coisa. As empresas encararem o FB como um meio rentável de se relacionar com o público é uma coisa.

    Outra coiaa é consierar o FB como única plataforma digital. Isso é ridículo. Não podemos falar de Facebook Marketing, mas do uso das plataformas digitais para o Marketing – ou Marketing Digital.

    Por ser a maior plataforma (hoje, em âmbito mundial), não podemos ignorar o FB em nossas estratégias de marketing digital, como tampouco ignorar outras plataformas, como Twitter, Youtube, Linked In e até mesmo o Orkut (que ainda é a maior rede social do Brasil.

    Sejamos críticos e não caiamos nas falácias que o departamento de marketing do FB espalham por aí.

    Abraços,

  9. Alessandra Valente disse:

    Muito bom o artigo! Não tenho dúvidas de que o Orkut vai “morrer” e o Facebook será a grande vedete das redes sociais. Mas sem descartar a super importância do Twitter, onde a gente fica sabendo de tudo! No Facebook não é bem assim….
    Quanto aos sites institucionais, acho que eles vão permanecer aí por muito e muito tempo….Mas a visão é interessante! Vamos aguardar para ver!
    Parabéns! Abraços, Alessandra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *