Estamos realmente prontos para a Internet das Coisas?

Nada detém a força primitiva, cega e amoral que, consciente ou inconscientemente, muitas vezes motiva e impulsiona a economia, as empresas e os seres humanos.