Entenda como funcionam os anúncios nativos

Nova Escola de Marketing
24 de março de 2016

Os native ads são uma forma de fazer publicidade através do conteúdo e longe dos banners. São parentes do marketing de conteúdo.

native-ads-1A publicidade na internet vive em constante mudança e evolução. Um mercado que começou com a adaptação das estratégias offline, com venda de espaço publicitários, aos poucos foi criando sua própria lógica de funcionamento.

Partindo do conteúdo, um novo formato vem se tornando cada vez mais popular no mercado da publicidade digital: os native ads.

Neste artigo, explico com detalhes o que significa esse conceito, como ele funciona e por que a sua empresa deve investir nisso.

O que são os native ads?

Os native ads (anúncios nativos, em português) são um tipo de publicidade que reúne características do marketing de conteúdo com alguns aspectos da mídia paga convencional.

Podemos definir os native ads como artigos ou histórias pagas — e identificadas como publicidade — em meio a outros posts de uma plataforma de conteúdo, como um portal, um blog ou uma rede social.

Esse conteúdo é publicado no mesmo formato dos outros posts da plataforma, como se fosse mais uma postagem convencional do publisher. No entanto, ela é identificada de alguma forma para que o leitor saiba que o conteúdo é patrocinado.

native-ads

Esse modelo surgiu como uma forma de os primeiros blogs da internet ganharem dinheiro, já que, em tese, o produto deles (o conteúdo) é gratuito.

Desde a popularização dos blogs, esse tipo de anúncio ficou conhecido pelos próprios blogueiros como “publiposts” ou “posts patrocinados”, mas não era considerado uma prática muito ortodoxa. Com o tempo isso mudou e hoje os native ads são uma tendência nas agências de publicidade e ganham cada vez mais espaço entre os anunciantes.

Por que investir em native ads?

Os native ads são um tipo de publicidade diferente dos banners convencionais dos sites. Navegando pela web encontramos uma infinidade de links patrocinados e banners, que muitas vezes surgem na tela sem que o usuário solicite. Com o tempo, mais e mais pessoas passaram a ignorar esses anúncios, ficando até mesmo habituados a acessar sites e nem perceber a presença da publicidade.

Nesse contexto, faz todo o sentido investir nos native ads, pois por meio deles é possível oferecer a potenciais clientes conteúdo que, de alguma forma, é útil. Esse anúncio fica em um ambiente e formato em que os usuários estão habituados a frequentar e não representam uma intrusão.

Já é comprovado que o conteúdo traz mais conversão do que a publicidade normal. Mas, para funcionar bem e valer a pena para o anunciante, é importante que o post em si seja o destaque.

Como os native ads funcionam?

Existem diversos formatos diferentes para trabalhar com native ad, em plataformas distintas. Basicamente, eles giram em torno dos canais de conteúdo e dos produtores de conteúdo.

Você cria os seus canais de conteúdo

Tratando-se de canais de conteúdo, é possível trabalhar com native ads criando um canal da própria marca, como uma página no Facebook, uma conta no Twitter ou mesmo um canal no YouTube.

Por meio desses ambientes, a sua empresa pode entregar conteúdo relevante para o usuário. Mas lembre-se: o leitor não precisa saber de cara que aquele é um canal de uma empresa que quer vender um produto ou serviço.

Você faz parte do conteúdo de terceiros

O outro formato envolve o uso de canais de conteúdo de terceiros, preferencialmente produtores independentes, como portais e blogs.

Nesse formato, a empresa compra uma quantidade determinada de artigos, que terão suas pautas produzidas em parceria entre anunciante e produtor, para que o tema fique dentro do contexto geral trabalhado pelo canal.

Isso é necessário para que o native ad fique misturado em meio aos outros conteúdos do canal. Esse formato tem como principal vantagem a possibilidade de atingir uma audiência muito mais qualificada, especialmente se for em um canal de grande alcance e relevância. [Webinsider]

. . . .

Denis Zanini está concorrendo ao Prêmio Inovação Digital 2016, promovido pela Associação Brasileira do Comércio Eletrônico (ABComm). A votação termina no dia 31 de março.

Avalie este artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *