Realidade virtual em 360 pontos de vista

05 de setembro de 2016

Há um maior grau de imersão do espectador na narrativa ao se eliminar os elementos "do mundo real" que competem com a atenção ao universo lúdico.

Um mundo cada vez mais imersivo desponta à nossa frente através da realidade virtual.
É o que prometem as diversas iniciativas que colocam o usuário / consumidor / cidadão com um gigantesco óculos, virando a cabeça no melhor estilo “O Exorcista”.

De fato, a capacidade de capturar e replicar o mundo simultaneamente em todos os ângulos de visão (seja o 360 graus plano, como nas fotos estilo “Panorama” ou esférico, incluindo “a parte de cima e de baixo”), grosso modo, no mínimo quadruplica a quantidade de informação a ser absorvida.

A Realidade Virtual e seus 360 pontos de vista

O cone visual do ser humano (a área de visão percebida sem o movimento da cabeça) é o que sempre acabou determinando as mídias imersivas que temos hoje.

A TV, o cinema ou qualquer ‘coisa’ que use uma tela para replicação de um conteúdo visual (fixo – foto, ou dinâmico – filme), utilizando o movimento de câmeras (ou seja, a captura em ângulos distintos) para direcionar o foco do público e, assim, construir a narrativa através dos elementos que o diretor (do filme, do vídeo, do conteúdo) desejava destacar.

A Realidade Virtual e seus 360 pontos de vistaComo, por exemplo, quando há a alternância de câmera entre diálogos (chamada pelos cineastas/diretores de Teoria da Linha de Diálogo, ou Regra dos 180º).Realidade virtual em 360 pontos de vista

Um mundo em 360º

A partir do momento em que se torna possível capturar um cenário em 360 graus simultaneamente, a quarta parede é mais facilmente quebrada.

Há um maior grau de imersão do espectador na narrativa ao se eliminar os elementos “do mundo real” (visão periférica e limitação do campo de visão) que o jogavam, a todo instante, nesta balança entre a atenção ao universo lúdico e esse monte de outras coisas na sala.

Aliás, vivências em primeira pessoa já permitiam ampliar esse grau de imersão, como neste divertido videoclipe da banda russa Bitting Elbows:

 

 

Mas a visão ampliada das multicâmeras permitirá uma inclusão muito maior de elementos à cena/situação, proporcionando, até mesmo, conclusões diferentes de uma narrativa dependendo de onde estava o foco do espectador.

Lembra do filme “Ponto de Vista” – Vantage Point? Nele são apresentados diferentes ‘pontos de vista’ de diferentes personagens para elucidação de um atentado terrorista); incorpore uma filmagem em 360 graus. É isso!

 

 

Muda-se a forma de pensar em imagem, foco e movimento; adicionam-se elementos que poderão conduzir uma história a caminhos diferentes a cada vez que ela é, ludicamente, vivida; abre-se caminho para tratar o mundo dos vídeos e filmes de uma forma cada vez mais aberta (algo que a indústria de games utiliza amplamente), onde o jogador espectador é menos expectador e mais personagem. [Webinsider]

. . . .

Leia também:

Avalie este artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *