O dia em que fui assistir palestra do Leandro Karnal

09 de fevereiro de 2017

Uma hora e meia de dicas para a vida profissional e pessoal, com insights, literatura e muitas histórias, contadas pelo professor Karnal.

Aqui no Webinsider sempre recebemos convites para eventos e apresentações. Desta vez chegou um convite diferente, da empresa de tecnologia Vert, para uma palestra do historiador Leandro Karnal e, olha que sorte, em Brasília. Poxa, um convite assim é imperdível, pensei. Gosto muito do pensamento do Karnal, seus artigos, suas várias participações em programas de TV.

Sempre muito lúcido, bem humorado e tão lido, tão sábio, tão vivido. Toda vez que tenho oportunidade de lê-lo ou ouvi-lo, penso, “poxa, que homem incrível”, tenho mesmo, preciso confessar, uma certa inveja dele. Tanta sabedoria não é para qualquer um e me vem à cabeça uma frase do grande mestre Yoda: “em um lugar escuro nos encontramos, e um pouco mais de conhecimento ilumina nosso caminho”. Acho que esse é o Karnal.

Pausa para um olhar diferente

Achei muito interessante que uma empresa de TI tenha a “sacada” de convidar uma pessoa com esse currículo para fechar um ciclo de imersão em planejamento. Parabéns para a Vert! É muito importante, acredito eu, sair um pouco da loucura do dia a dia para refletir sobre temas que não pensamos o tempo todo.

Nunca me esqueço dos meus anos de trabalho numa ONG de direitos da infância e adolescência, a Andi, em que a equipe inteira, pelo menos uma vez ao ano, desfrutava de um momento “Cabugi”.

Cabugi é um hotel fazenda há poucos quilômetros de Brasília, onde ficávamos imersos um final de semana inteiro para repensar os projetos e a instituição. Guardo histórias inesquecíveis dessas ocasiões, nas quais éramos sempre assessorados por nosso diretor Veet Vivarta. Só imaginem (muitos risos). Mas enfim, é mesmo muito importante vivenciar esses momentos cheios de aprendizado e reflexão.

É o que o professor Karnal chamou de “distanciamento mais filosófico histórico” para fazer as conexões e sinapses do nosso dia a dia com o mundo, o trabalho e a vida pessoal.

Está tudo em Shakespeare

E o que eu quero contar para vocês, nesse texto, são algumas das principais reflexões, lições aprendidas por mim ontem com o Leandro Karnal.

Essa sua palestra especificamente é baseada na obra de William Shakespeare. Karnal vai repassando ao longo de sua fala o que aprendeu de mais importante e especial com os principais personagens de Shakespeare.

Um dos pontos que mais me chamou a atenção, exatamente porque eu tinha acabado de ter uma conversa com uma amiga sobre o tema. Aliás essa minha amiga é uma mentora espiritual para mim (ela vai rir muito lendo isso). Falamos recentemente sobre a dificuldade que temos de estar inteiros nas ocasiões da vida. A dificuldade que temos de viver o hoje sem pensar o tempo todo no amanhã ou no ontem. Minha amiga acabou de viver o trauma de um acidente de trânsito e me contou que pensou muito nisso – enquanto dirigia não pensava no momento em si mas no que vinha depois.

Ela contou também de uma experiência que viveu quando passou dez dias meditando em um retiro. No último dia foi ao banheiro momentos antes de tudo ser finalizado, quando haveria a última meditação e ela só pensava que depois de voltar do banheiro ia se concentrar muito na meditação… e com isso não prestou atenção no caminho, tropeçou e torceu o pé.

Ou seja, ela não estava inteira naquele momento e sim pensando em como seria no momento seguinte. Parece uma bobagem, mas é muito importante que estejamos inteiros aqui e agora. Eu mesma nesse momento estou pensando “estou aqui escrevendo e o trabalho me esperando” (muitos risos).

O próximo compromisso…

E o Karnal durante a palestra também deu um depoimento de que uma das lições aprendidas ao longo da vida foi exatamente de estar inteiro onde estiver.

Citou, por exemplo, que com a vida corrida que tem estava sempre pensando no próximo compromisso e assim nada era bom. Diz ele que demorou muito para entender isso mas que hoje vive cada momento o mais pleno, aproveitando e desfrutando o máximo possível.

E assim deve ser a vida. Achei de uma sincronicidade absoluta eu ter conversado longamente no domingo com minha amiga sobre esse assunto e quatro dias depois, ouvir a mesma coisa em uma palestra.

Haters

Karnal também falou da cultura do ódio, tão cultivada nos últimos tempos com o advento das redes sociais, a cultura do “hater” (termo usado na internet para definir pessoas que postam comentários de ódio ou crítica sem muito critério).

Tenho pensado bastante nisso – como as pessoas têm facilidade para odiar e compartilhar este desagrado sem pensar duas vezes. Ler comentários sobre qualquer assunto nos grandes portais ou nas redes sociais é algo que dá medo, uma sensação pavorosa. Sempre penso que meus pais devem ter me educado muito bem mesmo, pois jamais teria coragem de comentar o que essas pessoas comentam e demonstrar tanta deselegância, crueldade e inveja.

Graças à internet, facilitamos muito para quem odeia. Segundo o Karnal, “o ódio tem imenso poder retórico, ele sempre existiu. Não é fácil existir e acumular fracassos, dores, solidão, questões sexuais, desafetos e uma sensação de que a vida é injusta conosco. O mais fácil é a transposição para terceiros.” Sobre isso vale muito a pena ler a entrevista dada por ele à BBC.

E vou fechar esse texto com o gancho da cultura do ódio e a das análises superficiais. Hoje temos tanto acesso a informações diversas, tudo a um clique do mouse e ainda assim somos tão menos sábios.

E Karnal completa: “nunca difundimos tanta informação e nunca fomos tão fracos na análise. É preciso examinar, ensinar as pessoas a duvidar. E é importante saber que a imprensa brasileira como um todo emite opiniões mais do que exame de questões. Então, ao ler algo, é importante se perguntar: a quem interessa isso?”

E completo: antes de compartilhar algo é preciso investigar, ter certeza e, em muitas ocasiões, antes de emitir uma opinião sobre o outro, é fundamental olhar para si mesmo.

E o que tudo isso tem a ver com os temas que publicamos aqui no Webinsider? Tudo ou nada! Você decide! De qualquer forma, se você chegou até aqui já valeu. ☺

[Webinsider]

Alice Salazar, blogueira superstar

Avalie este artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

2 respostas para “O dia em que fui assistir palestra do Leandro Karnal”

  1. Viviane Silva Danin disse:

    Marcos,
    Eu conheço outros palestrantes mas fui assistir especificamente ao Karnal, não sei se vc entendeu isso! Conheço o Pondé, respeito mas gosto mais do Karnal, me afino mais com seus pensamentos. Agora, leia o texto e preste atenção, cuidado para não fazer exatamente o que fazem os haters. Esse é um ponto de vista meu, de uma experiência que vivi, um convite que recebemos e achei positiva, por isso quis compartilhar. Se não foi útil para você ou não te foi interessante a leitura tudo bem também mas isso não significa que não agradou outras pessoas. O que quero dizer é que cada pode ter sua opinião própria e é preciso respeitar essa opinião. Um abraço.

  2. Marcos disse:

    Oi Viviane. Procure conhecer “outros” palestrantes, como o Luiz Filipe Pondé e sair da mesmice de Karnal-Cortella-Clovis Barros. Veja:

    https://youtu.be/AK40tqLEY4Y

    https://youtu.be/5ua1-IEk6Ho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *