Em muitos planos de negócios não encontramos uma projeção da capacidade produtiva, mas recentemente percebi que esta é uma questão importante demais para ser deixada em segundo plano, especialmente nas micro e pequenas empresas.

A maioria dos microempresários se envolve diretamente em todos os processos de sua empresa, da venda à pós-venda. Inicialmente, o volume de trabalho não é uma preocupação, pois o microempresário é polivalente e aventureiro por natureza e vê o aumento do volume de trabalho como algo essencialmente positivo. Aumento de vendas gera aumento de custos e, se os preços não tiverem uma margem suficientemente interessante, o negócio pode deixar de ser lucrativo.

Contudo, há duas variáveis importantes no processo de formação de preço e que comumente são esquecidas: a capacidade produtiva da empresa e a capacidade produtiva do microempresário. A evolução das vendas deve gerar lucro suficiente para permitir o aumento da capacidade produtiva. Acredito que muitas empresas não crescem ou morrem pois sua margem não permite o investimento no aumento de capacidade produtiva, sobrecarregando o empresário, até que sua energia se esgote.

Não é simples identificar essa situação, especialmente nas empresas que possuem processos de alta complexidade. A produção, cobrança e as vendas ficam cheias de regras e burocracias, passando a exigir mais atenção do empresário, tirando seu foco do horizonte e colocando nas tarefas do dia-a-dia.

Quanto maior a complexidade, mais escondida fica esta armadilha e maior é a necessidade de investimento em mão de obra qualificada, pois o empresário terá sua capacidade produtiva comprometida mais rapidamente. Afinal, treinar e delegar não basta, é preciso ter capital para manter a mão de obra.

Muitos empresários não levam em consideração esta relação entre complexidade e investimento e acabam por perceber a inviabilidade do negócio tarde demais. O excesso de clientes também pode matar uma empresa, quando a margem não permite que sejam recrutadas e mantidas pessoas de talento.

Para identificar se seu micro-empreendimento sofre deste problema, faça uma projeção de aumento de vendas e analise se haverá lucratividade suficiente para aumentar a capacidade produtiva, inclusive em nível gerencial, antes que sua energia e empolgação de microempresário, essenciais para a saúde sua e de sua empresa, se esgotem. Se não for, providencie uma análise de preços e custos e aumente sua margem.

Ter plena consciência de sua capacidade produtiva é o melhor método para não entrar neste beco sem saída, que inviabiliza o crescimento, diminui a qualidade e destrói a saúde. [Webinsider]

…………………………

Conheça os serviços de conteúdo da Rock Content..

Acompanhe o Webinsider no Twitter.

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+

  1. Pingback: A relação entre complexidade e investimento &rquo;