Desde a explosão da bolha em 2000 o mercado de publicidade online americano (e arrisco dizer, mundial) vem sofrendo ano a ano um déficit em investimentos. Mesmo com o número de internautas crescendo, o impacto da “catástrofe” e o retorno pouco significativo (com exceções, é claro) de mídias como banners e classificados online facilitaram a fuga de tais investimentos.



Mas em 2002 este mercado voltou a crescer, segundo um levantamento realizado pelo IAB (Interactive Advertising Bureau) e a Pricewaterhouse Coopers.



De 2001 para 2002 houve um incremento de 5% nos investimentos, contabilizando US$ 6 bilhões em gastos com publicidade online. A previsão para 2003 é de um aumento de 4,8%.



Já o eMarketer publicou um histórico e previsão de investimentos em publicidade online com números que diferem das informações da IAB/PwC. Segundo os números do eMarketer, a retomada do mercado irá acontecer somente este ano. De qualquer forma o eMarketer continua apontando a promoção em buscadores como principal responsável pela “volta por cima”.

Investimentos em publicidade e a internet



Os números ainda são pouco significativos se considerarmos que no geral os gastos com publicidade nos EUA em 2002 atingiram a ordem de US$ 236,75 bilhões de dólares, incluindo os US$ 6 bilhões da internet.



No Brasil, nos primeiros quatro meses de 2003 os investimentos em publicidade ficaram próximos dos R$ 3 bilhões, segundo o Projeto Inter–Meios, sendo que a internet participou com R$ 37 milhões, chegando muito próximo dos números das TVs por assinatura (R$ 40 milhões).



Promoção em buscadores: a grande surpresa



Em relação aos números divulgados pelo IAB a grande surpresa é que o principal responsável pelo reaquecimento foram os serviços de promoção em buscadores. Enquanto os investimentos em banner caíram de 36% em 2001 para 29% em 2002, dentro de um total de gastos com publicidade online, os investimentos em “palavras–chave” subiram de 4% para 21% – números para lá de interessantes.



Isso explica o fortalecimento e valorização de marcas como Yahoo e Google neste ano (a pesquisa do IAB só foi divulgada recentemente), bem como de empresas especializadas em Marketing de Otimização em Buscadores.



A aposta da gigante Microsoft



O mercado anda tão promissor que a gigante Microsoft já se prepara para entrar batendo pesado no mercado. Recentemente a empresa abriu uma quantidade enorme de vagas para profissionais da área. Com isso podemos esperar para breve uma reformulação geral e ações intensas de promoção de marca para o buscador da empresa, o MSN Search.



A briga vai ser boa. Logo vamos estar vendo uma corrida entre as gigantes Yahoo, Google, Microsoft e a “emergente” AllTheWeb (de propriedade da Overture) pelos cliques no botão de “buscar”. Nesta batalha os buscadores deverão aperfeiçoar seus algoritmos para trazer resultados cada vez mais pertinentes e quem ganha com isso somos nós usuários.



Enquanto isso, no Brasil…



Entre os principais fatores que levaram ao crescimento do serviço nos EUA podemos citar o excelente custo–benefício e a facilidade de mensuração de resultados, incluindo o tão almejado ROI. No Brasil o mercado de promoção em buscadores continua tímido. Ao que parece, as agências e anunciantes brasileiros ainda não abriram os olhos para esta oportunidade. [Webinsider]




Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+