No mundo do empreendedorismo, certamente o tema que mais atrai as atenções na atualidade, são as startups. Empresas emergentes, de base tecnológica e que possuem margem de escala rápida e elevada.

Um grande desafio, no entanto, de uma startup, é exatamente o que define o seu conceito. Escalar rapidamente e crescer em faturamento e clientes.

Este desafio é ainda maior para as startups que não começaram com muito dinheiro. Seja de algum investidor ou mesmo dos próprios fundadores. E é para as empresas nesta situação, que o papel das aceleradoras de startups melhor se encaixa.

Aceleradoras de startup são organizações, públicas ou privadas, que “abraçam” as empresas nascentes, para que elas possam dar o salto de escala, que tanto necessitam.

Mas, com o aumento no número e na popularidade de startups (existem cerca de 4,2 mil startups no Brasil), cada vez mais boas ideias e bons negócios concorrem por um lugar ao Sol no mercado.

E, por conta disso, a concorrência pelos processos de seleção das aceleradoras tem sido cada vez mais maior. Com processos cada vez mais disputados e com nível de exigência alto, para que uma startup seja aceita por uma aceleradora.

Para quem é, ou foi, em algum momento da vida, o fundador (ou um dos fundadores) de uma startup, este é realmente um dos momentos mais difíceis da história do negócio.

Por isso, este artigo irá dar dicas e informações, sobre como preparar o seu negócio para o processo de seleção de uma aceleradora de startups. Como garantir que a sua empresa tenha potencial para concorrer com muitas outras, por uma vaga em uma aceleradora. Confira!

O que é uma aceleradora de startups?

Uma aceleradora de startups é, geralmente, uma organização comandada por empreendedores ou investidores, com vasta experiência nos negócios. Eles buscam novas empresas, com potencial de crescimento atrativo, para apoiarem. Tanto financeiramente, como com mentoria direta aos fundadores do negócio.

A busca por estas empresas promissoras vai além do potencial financeiro do negócio. A ideia básica é buscar por negócio que possuam potencial de escalarem rapidamente e que sejam comandadas por empreendedores com potencial igualmente alto.

O processo de aceleração de uma startup não se trata apenas de “despejar dinheiro” em um negócio. Vai muito além disso, com sessões de mentoria contínua, para a evolução da startup e de seus fundadores.

Ao contrário de uma incubadora, que tende a ser uma organização de auxílio e mentoria a negócios, mais focada nos aspectos de transferência e desenvolvimento tecnológico, as aceleradoras são mais voltadas ao desenvolvimento do negócio em si.

O objetivo é que as startups alcancem um real crescimento e que se tornem negócios rentáveis e atrativos, para o mercado e para novos investidores.

aceleradora de startups

Como funciona o processo de aceleração?

De um modo geral, as aceleradoras se encaixam na chamada série Seed, das rodadas de investimento de uma startup. As aceleradoras, durante o processo aceleração, ficam com uma parte da empresa. Parcela que varia entre 3% a 10%, a depender de cada processo de aceleração.

E o objetivo, especialmente nas aceleradoras privadas, é o de preparar uma startup para as rodadas subsequentes de investimento. Desta forma, os administradores da aceleradora poderão lucrar com o investimento feito nas empresas aceleradas.

Existem dois modelos de aceleradoras no Brasil, as aceleradoras privadas e as aceleradoras públicas. Veja como cada uma funciona:

Aceleradoras privadas

As aceleradoras privadas são administradas por empresários, investidores ou mesmo empresas, que buscam negócios inovadores e com forte potencial, para investirem.

Nas aceleradoras privadas, o equity, ou a parcela da empresa que é repassada para a própria aceleradora é geralmente uma regra. Regra esta que já está clara e destacada, desde o processo de seleção.

De um modo geral, a aceleradora irá buscar startups que sejam do ramo no qual os investidores e gestores principais já tenham experiência e conhecimento de mercado.

Isto porque, será mais oferecer mentoria e auxílio ao crescimento da empresa. Seja oferecendo acesso à uma forte rede de networking, que irá permitir a startup o acesso a mais clientes e mais oportunidades de negócios.

No Brasil, algumas das principais aceleradoras, como ACE e Oxigênio, estão localizadas na cidade de São Paulo. Fica aqui o link de uma reportagem da revista Exame, sobre as 10 maiores aceleradoras de startup do Brasil.

Aceleradoras públicas

Ao contrário das aceleradoras privadas, as aceleradoras mantidas pelo poder público estão mais focadas em contribuir com o ambiente empreendedor, do que com as empresas em si.

Geralmente, as aceleradoras públicas não recolhem equity das startups aceleradas e os mentores são empreendedores locais. Empresários, investidores e especialista, que estão voltados ao desenvolvimento do ecossistema de startups.

O ganho para o poder público, é o compartilhamento tecnológico e a evolução do ambiente empreendedor. O que permite à comunidade ter mais empregos, renda e novas empresas nascendo e evoluindo.

A maior aceleradora pública do Brasil é o Seed. A aceleradora é mantida pelo governo do estado de Minas Gerais e no seu último processo de seleção, realizado em 2017, 1453 startups, de 48 países, se inscreveram. No final, apenas 40 startups foram selecionadas.

Fora do Brasil, uma grande referência é o programa Startup Chile. Realizado em Santiago, capital do Chile, o programa é considerado o maior da América Latina e é mantido pelo governo chileno.

aceleradora de startups

Como é o processo de seleção e como se preparar?

A seleção das aceleradoras de startups costuma avaliar os mesmos fatores que um investidor avalia em uma empresa.

O objetivo é saber se a startup possui, de fato, um negócio inovador e escalável, se os empreendedores estão engajados com o projeto da empresa e se o nicho de atuação da startup é de fato interessante.

Nas aceleradoras públicas, busca-se avaliar, também, o quanto a empresa irá devolver à comunidade, em forma de inovação e desenvolvimento do ambiente empreendedor.

E para estar “em forma”, no momento de se candidatar a uma aceleradora de startups, é fundamental que o empreendedor conheça tudo sobre a sua empresa e o ramo no qual ela atuará.

aceleradora de startups

É preciso saber “convencer” os avaliadores de que seu negócio é realmente atrativo e inovador. E para isto, o pitch possui função primordial. Fica aqui o link da Endeavor, com dicas ótimas sobre como elaborar um pitch (quase) perfeito.

Antes de se candidatar à um processo de aceleração, garanta que tudo sobre o seu negócio esteja na ponta da língua. Você acreditar que seu negócio é bom e tem potencial, e que seu produto realmente ajude aos clientes, já é um bom caminho pavimentado para ser aceito nestes processos.

Em seguida, treine o seu pitch até que ele possa ser apresentado de modo natural. Através dele você e seu negócio serão avaliados. E o momento de falar e defender seu negócio, é o momento no qual deve brilhar e agir com confiança!

Mas, atenção…

Entrar em uma aceleradora não é a garantia do sucesso. Busque sempre por conhecimento e inspiração, para continuar a crescer como pessoa e como empreendedor.

Todo negócio, e com as startups não é diferente, evoluem conforme seu dono evolui. Um empreendedor focado, motivado e com as ferramentas certas na mão, pode criar negócios verdadeiramente disruptivos e inovadores.

E propiciar que você tenha sempre conhecimento para sua jornada empreendedora é um dos objetivos do WebInsider. Fique ligado no site, para sempre ter insights e informações importantes, para a sua evolução e a de seu negócio.

Ficou alguma dúvida sobre como se preparar para o processo de aceleração de startups? Deixe a sua dúvida nos comentários. Vamos compartilhar conhecimento e informação, para que o ambiente empreendedor possa evoluir cada vez mais!

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+