Conquistar um novo emprego é objetivo de muitos profissionais para o ano de 2018. Enquanto alguns querem sair da fila do desemprego, outros buscam uma nova oportunidade, para aumentar o salário ou mudar de ares. Mas, em nenhum dos casos, será possível fugir da entrevista de emprego.

E este é um momento que deixa muita gente ansiosa. Estar em frente ao futuro empregador, ou a algum representante da empresa que possui um alto cargo, é um momento que faz com que muitos profissionais percam o sono.

Mas este nervosismo não é sem motivo. Segundo pesquisa realizada pelo instituto norte americano The Undercover Recruiter, cerca de 33% dos recrutadores dizem que os 90 primeiros segundos de uma entrevista são os que definem se uma pessoa será contratada ou não.

No entanto, ainda segundo a mesma pesquisa, as entrevistas duram em média 40 minutos. E durante a entrevista de emprego, várias perguntas, desde assuntos pessoais a até profissionais são tratados.

Naturalmente, uma verdadeira “sessão de perguntas e respostas” de tal duração tende a ser desconfortável para muita gente. E daí surge a ansiedade e o nervosismo na entrevista. Levando a diversos problemas de postura corporal e na coesão de ideias, que levam muitos profissionais a serem eliminados no processo.

Mas, porque a entrevista de emprego deixa tantos profissionais ansiosos? Neste artigo, vamos abordar este tema e dar dicas para que a entrevista seja um momento no qual o nervosismo possa ser deixado de lado. Para que você esteja pronto para usá-la a seu favor e para se destacar!

Porque a entrevista de emprego é importante?

O processo de contratação de um profissional costuma durar por volta de um a dois meses, na maioria das empresas. Passando pela divulgação da vaga, recebimento de currículos, triagem, entrevistas, até finalizar a contratação.

Desta forma, o processo, além de oneroso, o processo de contratação de um profissional demanda o envolvimento de muitas áreas de conhecimento de uma empresa.

E, na maioria dos casos, é na entrevista de emprego que o gestor da empresa ou da área que está contratando, participa do processo de contratação. A exceção são as empresas pequenas e com poucos funcionários, no qual o dono ou gestor participa e gerencia o processo de contratação, de ponta a ponta.

No entanto, é neste momento que o profissional tem contato direto com a empresa. Muitas vezes sendo convidado à sede da empresa e se reunir com os contratantes, face a face.

Segundo o relatório da The Undercover Recruiter, os contratantes avaliam várias coisas na entrevista de emprego. Porém, o que mais é avaliado são aspectos comportamentais.

O que os entrevistadores mais avaliam?

Segundo a pesquisa, os erros não-verbais mais comuns que os entrevistadores percebem nos candidatos são os toques constantes no cabelo e no rosto, que indiciam nervosismo, e o fato de não fazer contato visual constante com o entrevistador.

O vestuário e a postura do candidato, durante a entrevista de emprego, também são pontos avaliados pelos empregadores. No levantamento, 55% dos entrevistadores afirmou que o modo de se vestir e maneira com qual o candidato adentrou o local da entrevista, foram fatores que impactaram positivamente.

As falhas mais comuns, que os entrevistadores apontaram nos candidatos, foram as seguintes:

  1. Não perguntaram sobre o emprego;
  2. Não se diferenciou de modo suficientemente dos outros candidatos;
  3. Improvisou demais nas respostas;
  4. Tentou parecer como uma pessoa que faz de tudo;
  5. Se concentrou demais nas próprias necessidades.

A pressão para conseguir um emprego deixa muita gente nervosa

O desemprego ainda é um drama na vida de muitos brasileiros. Apesar de estar em queda, a taxa de desemprego no Brasil ainda está em 11,8%. No Brasil, 12,3 milhões de profissionais ainda estão desempregados. (Fonte: EBC)

Diante deste cenário, conseguir ser chamado para uma entrevista de emprego é muito difícil. Pois, em processos nos quais as empresas chegam a receber centenas ou milhares de currículos para uma única vaga de emprego, o funil de seleção é ainda mais rígido.

Desta forma, a pressão por se destacar em uma entrevista de emprego, para conseguir a recolocação profissional, faz com que muitos cometam erros simples, mas cruciais para o processo seletivo.

Segundo pesquisa realizada pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 59% dos profissionais desempregados entrevistados se sentem deprimidos ou desanimados.

A pesquisa ainda apontou que 63% dos entrevistados se sentem estressados, por conta do desemprego. Já 62% disse apresentar sensação de angústia, enquanto 70% alegou estar com ansiedade e insegurança. A pesquisa, denominada “Impactos do Desemprego: saúde, relacionamentos e estado emocional”, foi realizada em 2017.

Números que sustentam o fato comum, nas entrevistas de empregos, de profissionais que alegam nervosismo e ansiedade, como maiores defeitos pessoais.

Não tenha vergonha de seus erros e defeitos

Uma das perguntas mais comuns em uma entrevista de emprego é: “Qual o seu maior defeito?”

E as respostas mais comuns para esta pergunta são: ansiedade e perfeccionismo.

No Brasil, naturalmente temos dificuldade em assimilar aprendizado de erros. A vergonha pelas falhas e erros do passado, supera, em muitos casos, o potencial aprendizado de tal experiência infeliz.

Porém, nenhuma carreira de sucesso é construída apenas de vitórias. Os erros e falhas cometidos, quando o aprendizado resultante é bem utilizado, fornecem muito crescimento pessoal e profissional.

No entanto, em entrevistas de emprego, os profissionais têm muita dificuldade em contar suas histórias de insucesso passado ou relatar suas fraquezas. Seja por falta de conhecimento pessoal, ou mesmo por medo de ser julgado injustamente pelo recrutador, muitos evitam relatar estes fatos ou passagens da vida.

Porém, alguém que demonstra que possui pontos a melhorar. Bem como demonstra que aproveitou bem as experiências de insucesso do passado, terá maiores chances de ser bem visto em uma entrevista de emprego.

Além de aumentar a chance de criar uma conexão mais próxima com os entrevistadores, que também possuem histórias de insucesso no passado.

Como evitar a ansiedade na entrevista de emprego?

A melhor forma de evitar a ansiedade em uma entrevista, é se preparar bem para ela. Tente ser agradável, sorrindo e com um certo senso de humor, porém, claro sem que seja algo muito forçado.

Também seja educado com todos na empresa em que irá realizar a entrevista. Um bom e velho “bom dia” e “boa tarde”, para todos com quem entrar em contato, já fazem muita diferença.

Além disso, estude sobre a empresa e sobre a posição de emprego que está sendo oferecida. Procure se apresentar como o candidato mais adequado para o cargo. Não tenha medo de “vender o seu peixe”.

Porém, se você é naturalmente ansioso, no blog do 12Minutos há um artigo muito legal, dando dicas sobre Como diminuir a ansiedade. E para você que está buscando o primeiro emprego, vale a pena dar uma olhada nas dicas que demos neste artigo, antes de sair distribuindo seu currículo.

Lembre-se, a entrevista de emprego é um momento crucial para o processo de contratação. É fundamental se preparar e manter a calma, para evitar erros simples. Que, no entanto, podem custar uma vaga de emprego.

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+