Dentre as inúmeras transformações causadas pelo crescimento da internet e o surgimento de novas tecnologias, uma quebra de paradigma tem chamado a atenção: o cliente já não se impressiona facilmente e para cativá-lo é necessária uma única coisa. O resultado.

Antes, qualquer um que se aventurasse no mercado de marketing (e os primórdios do marketing digital) se empenhava em alugar uma sala comercial apresentável, gastava uma fortuna em mobília para a sala de reuniões, contratava uma secretária, investia em equipamentos e, muito provavelmente, já partia em busca de profissionais para montar sua equipe. Tudo isso baseado nas perspectivas de clientes que poderia atender.

Esse sacrifício todo não era em vão. Receber os clientes em uma sala pomposa, servir café ou chá e levá-lo para um pequeno tour pela empresa tinha um único objetivo. Mostrar a ele que a empresa era capaz de atendê-lo com qualidade e corresponder às suas expectativas. E o mais importante disso tudo: o cliente acreditava.

Hoje tudo isso mudou. O mercado aprendeu a reconhecer que bons profissionais e serviço de qualidade independem desse tipo de recursos. Estão aí as Coworkings provando isso. Bons profissionais estão em todos os lugares, acessíveis de todas as formas, e não importa onde ou como eles realizarão o trabalho que o cliente precisa. Só é necessário realizar o trabalho com competência.

Tamanho vs agilidade

Não é só por valorizar mais o talento que o mercado tem se aberto para profissionais independentes. A dinamicidade que a internet proporciona (e também exige) traz ao marketing a necessidade de uma agilidade e competência inéditas. Não há tempo para erros e reflexões. Uma ação mal pensada ganha proporções assombrosas em horas. O estrago está feito.

Assim, muitas grandes agências, com toda sua estrutura e equipe numerosa, não têm se adaptado às novas exigências, tornando-se lentas e ineficientes. Enquanto isso, um profissional munido de um bom pacote de softwares, em constante contato com colegas de diversas áreas, atende de casa um número maior de clientes com um menor custo e, muitas vezes, com excelente qualidade.

A verdade é que métodos tradicionais de organização e gerência de projetos já não se encaixam nas demandas do mercado. Visões de gestão mais dinâmicas, como o Lean Thinking, trazem uma abordagem fragmentada muito mais condizente com o cenário atual.

Mesmo sem tomar consciência dessa lógica, o mercado de marketing segue intuitivamente nessa mesma direção. Profissionais autônomos mantêm o foco no que importa e utilizam seu networking para mobilizar especialistas de outras áreas construindo assim sua própria agência, sem vínculos, sem obrigações, sem burocracia. Dificuldades comuns no dia a dia de qualquer grande empresa do setor.

Sucesso vs fracasso

A motivação deste texto me veio de dois casos recentes. Dois ex-colegas dos meus tempos de agência montaram suas próprias empresas e estão trabalhando em casa. Os resultados que observei na experiência deles são surpreendentes.

Os dois contam com uma carta interessante de clientes, entre os quais grandes empresas, e já faturam, evidentemente, mais que seu salário anterior. Tem mais tempo livre, qualidade de vida e estão extremamente satisfeitos com sua profissão e com os caminhos que escolheram.

O sucesso deles traz ainda uma constatação: seu talento não era realmente aproveitado pelas agências em que estiveram. Seu potencial ficava perdido em meio à ineficiência de gestão dessas empresas que, mesmo com maior estrutura e recursos, tem um índice de insatisfação de seus clientes muito maior.

Mas os resultados que eles alcançaram não são tão fáceis de atingir. Para obter sucesso em uma empreitada pessoal, não basta pedir demissão e sair por aí se aventurando. O segredo é organização, disciplina e, acima de tudo, talento.

Se você, sem modéstia, se encaixa nesse perfil, vai fundo e boa sorte! [Webinsider]

…………………………

Leia também:

…………………………

Conheça os cursos patrocinadores do Webinsider

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+

  1. Claudio

    Excelente artigo, sou profissional na área de Marketing Online e vejo cada vez mais empresas de grande porte buscando por profissionais autônomos para atenderem esta necessidade da empresa, ao invés de gastarem horrores com espaço, contratação de pessoal e todas as despesas burocráticas que envolvem. Somos bons profissionais, basta procurarmos nos lugares certos.