livro_fabio.jpgA Construção do Imaginário Cyber: William Gibson, criador da cibercultura, de Fábio Fernandes. Editora Anhembi Mourumbi, 107 páginas.

No início dos anos 1980, um grupo conhecido como Cyberpunk revolucionou a produção de ficção científica com narrativas que descontruíram os velhos paradigmas de robôs e espaçonaves que vigoravam em grande parte até então nesse gênero literário.

Entre seus expoentes, Wiliam Gibson, Bruce Sterling e Rudy Rucker que lançaram algumas das bases do que hoje conhecemos por cibercultura. No livro “Construção do Imaginário Cyber”, Fábio Fernandes aponta que Gibson não voltou o foco de sua narrativa para uma pretensa antecipação do futuro, mas para uma inteligente extrapolação do presente.

Na sua premiada ficção Neuromancer, de 1984, Gibson cria o termo ciberespaço onde já previa um tipo de comunicação global, num espaço não-físico entre os seres humanos. Os ?cyborgues?, habitantes do ciberespaço, que tinham uma relação complexa com a tecnologia através de implantes eletrônicos e próteses diversas, seriam capazes de entrar ?fisicamente? nesses espaços de dados para lá viver todos os tipos de aventuras, lutando por uma adaptação e sobrevivência em um ambiente tecno-cultural que se modificava rapidamente. Esse romance foi fonte de influência para diversos pesquisadores em realidade virtual.

Hoje vivemos cercados por diversos dispositivos e interfaces em uma época de comunicação instantânea em um mundo interconectado e já começamos a dar os primeiros passos em conceitos como arquitetura líquida e ciborguização do ser humano. É esta influência de William Gibson que Fábio Fernandes nos relata: ?onde paisagens e personagens circulam e se entrecruzam, podem não ter necessariamente inventado os elementos que compõem a cibercultura, mas certamente serviram como um catalisador que formatou a cibercultura como hoje a conhecemos?.

No livro Construção do Imaginário Cyber somos confrontados a um tema importante e atual em nossa sociedade midiatizada na qual diversos setores vêm voltando suas atenções para a experimentação e as relações com as novas tecnologias de informação e comunicação. E ainda buscando apontar algumas das influências para as novas formas de percepção e de interação entre físico e virtual e suas potencialidades no nosso cotidiano e na cultura contemporânea. [Webinsider].

………………………………………………

Este texto de Gilbertto Prado foi publicado na orelha do livro do Fábio, que tantas resenhas de livros já escreveu para o Webinsider.

.

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+