Tem muito brasileiro fazendo as malas para morar no exterior. Dados da Receita Federal mostram que o número de saídas definitivas em 2017 aumentou 160% em relação ao ano anterior – passando de 8.170 para 21.236 pessoas.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, existem 3 milhões de brasileiros morando fora do país. No entanto, esse número pode ser ainda maior, por causa de fatores como a não notificação junto aos órgãos públicos.

Para onde estão indo os brasileiros?

morar no exterior

Estados Unidos são disparados o destino preferido dos brasileiros que decidem morar no exterior (23,8%). Em seguida vêm Portugal (13,4%), Espanha (9,4%), Japão (7,4%), Itália (7%) e Inglaterra (6,2%). Esses dados são do IBGE.

Mas, qual a causa dessa evasão de brasileiros. Na verdade, existe um conjunto de fatores. No entanto, a maioria parte em busca de segurança e melhores oportunidades de trabalho.

Se você está pensando em engrossar essa estatística e bater asas, fique com a gente! Nós vamos falar como fazer para morar no exterior, os preparativos para a mudança e os cuidados que se deve ter.

Preparando-se para morar no exterior

Se você pensa em deixar de vez do Brasil, comece a se preparar. Aliás, PLANEJAMENTO é a chave do sucesso. Nada de meter os pés pelas mãos e sair correndo sem saber direito para onde ir e o que vai encontrar pela frente.

Os especialistas recomendam iniciar o planejamento pelo menos um ano antes da partida. Pense em tudo, inclusive, nos detalhes. Veja:

Escolha o país e a cidade de destino

morar no exterior

Para fazer um bom planejamento, você precisa decidir para onde está indo. Isso é importante porque cada lugar tem as suas especificidades e você deve se preparar para o mínimo de imprevistos possíveis. Anote algumas dicas:

  • Verifique a infraestrutura local

Informe-se sobre hospitais, escolas para crianças, universidades (se for o caso), assistência médica e odontológica etc. Fique atento, porque muitas cidades, nos EUA por exemplo, não contam com transporte público e, portanto, quem não tiver um carro próprio não fará muita coisa por lá. Depender de carona e boa vontade dos outros pode ser um mal negócio.

  • Oportunidade de trabalho

Nem todo tipo de  visto autoriza o trabalho. Além disso, existem muitas regiões em que o trabalho para o imigrante indocumentado não é muito fácil de se conseguir. E ainda, a maioria deles é um trabalho braçal, cansativo e de baixa remuneração (comparando-se com outras oportunidades na mesma região).

  • Custo de vida em geral

Algumas regiões são mais caras do que outras. Nos EUA, por exemplo, os impostos sobre produtos e serviços variam entre os estado. E você deve considerar ainda o câmbio. Hoje, o dólar é mais barato que o Euro. Em alguns outros países, o nosso real pode ter valor.

  • Cultura da região

Se você não se adaptar com a cultura local, certamente terá dificuldade de viver na região escolhida ou até mesmo se meter em encrenca. Por exemplo, em alguns países, não se pode tocar ou abraçar outra pessoa. Então, não menospreze esse item, sob o risco de ver os seus planos se desfazerem.

  • Clima

Se você não suporta um frio intenso, nem pense em morar em algumas regiões do Canadá ou mesmo dos EUA. No estado americano de New Hampshire, por exemplo, a temperatura pode chegar a 28 graus negativos no interno.

O mesmo vale para quem detesta o calor. Enfim, verifique a temperatura durante as quatro estações do ano e veja se você e sua família conseguem se adaptar a ela.

O ideal mesmo seria visitar o local escolhido antes da mudança definitiva. Passe alguns dias por lá, conhecendo tudo e conversando com as pessoas. Mas, essa é uma iniciativa nem sempre possível para a maioria das pessoas.

Prepare a sua documentação

morar no exterior

Se você quer morar no exterior, provavelmente vai querer trabalhar por lá. Porém, muitas pessoas mantêm fonte de renda no Brasil, como trabalho remoto, aluguel, aposentadoria, investimentos etc.

Saiba que para ganhar dinheiro legalmente em outro país é essencial o visto de trabalho ou um visto de estudante que permite trabalhar algumas horas por dia. Existe ainda a possibilidade de se abrir o próprio negócio no local de destino. Mas, para fazer a coisa certa, o ideal é que você se informe muito bem sobre os vistos para morar no exterior.

Apesar da exigência do visto de trabalho, um número considerável de brasileiros chega ao país de destino com o visto de turista, geralmente válido por seis meses, e permanece por lá depois que esse prazo expira. No entanto, tenha consciência de que, se fizer isso, você estará burlando a legislação e, ao vencer o prazo de retorno ao Brasil, você passará a ser um imigrante ilegal.

Atenção especial com as crianças

morar no exterior

Se você pretende viajar com os filhos, redobre os cuidados, especialmente nos casos de menores de 18 anos de pais separados. Isso porque é obrigatória a autorização de ambos os pais para deixar o país. Se você não cumprir essa lei, pode ser acusado, inclusive, de tráfico internacional de pessoas.

Aprenda o idioma nativo

morar no exterior

Se você tem fluência no idioma, fica mais fácil a comunicação com as pessoas do local. Fica mais fácil, também, conseguir melhores oportunidades de trabalho. Mas, se o seu nível em relação ao idioma não for muito avançado, procure por cursos na região. Nos EUA, por exemplo, é fácil encontrá-los nas universidade ou nas escolas para adultos. Algumas vezes, eles são gratuitos.

Não espere que as pessoas mudem por sua causa

As pessoas têm suas próprias vidas, rotinas e costumes. Adapte-se ao ritmo delas e não o contrário. Ninguém vai mudar nada para agradar você. O máximo que pode acontecer é alguém apoiá-lo na integração com as pessoas locais. Mas você terá que dar o primeiro passo. Muitos imigrantes recorrem às igrejas e trabalhos voluntários para se aproximarem da comunidade.

Finanças

morar no exterior

Você pode pensar em todos os itens anteriores e fazer o seu dever de casa direitinho. No entanto, não irá muito longe se faltar o dinheiro. Então, tenha reserva e um orçamento.

Coloque no papel, ou numa planilha do Excel, por exemplo, todas as suas fontes de renda e as despesas que terá ao morar no exterior. Inclua tudo, de aluguel a conta de celular e transporte.

Lembre-se das despesas que terá com os preparativos e a viagem: taxas de vistos e passaportes, passagens aéreas, agência (se for o caso), seguro de viagem etc. O ideal é que esteja tudo anotado – o antes da viagem e a previsão para os primeiros meses fora do Brasil.

Moradia em troca de trabalho

É possível morar no exterior de “graça” em troca do seu trabalho. Por exemplo:

  • Worldpackers:  para trabalhar em hostels.
  • WWOOF: para trabalhar em fazendas orgânicas.
  • Work Away: você se inscreve para alguma atividade que precisa de trabalhador.
  • House Cares e MindMyHouse: para cuidar da casa das pessoas, enquanto eles estão fora.
  • HelpX: trabalho voluntário em troca de hospedagem e alimentação.

Os prós e os contras de morar no exterior

Você deve analisar a possibilidade de morar no exterior dos dois ângulos: o lado bom e o não tão bom assim. Veja 5 exemplos de cada um deles:

O lado bom:

morar no exterior
  • Oportunidades de conhecer e explorar novos lugares e literalmente se aventurar em um mundo novo.
  • Aquisição de conhecimentos e aprendizagem sobre culturas e idiomas.
  • Visão ampliada do mundo e do jeito de agir e pensar das pessoas.
  • Crescimento pessoal diante dos desafios diários em um local e uma cultura diferentes.
  • Expansão do networking, com um novo grupo de amigos.

O outro lado da moeda

morar no exterior
  • Choque cultural, que às vezes chega a doer: seja no estilo de vida, alimentação, relacionamento social etc.
  • Barreira da linguagem, dificultando relacionamentos e até a realização de atividades mais simples, como comprar um leite, escolher a comida no cardápio, ir no salão etc.
  • Trabalho manual, muito diferente do que você está acostumado e muito aquém do seu preparo acadêmico.
  • Insegurança, como se fosse uma criança no seu primeiro dia de aula. Para algumas pessoas, essa experiência pode ser apavorante.
  • Você será sempre um imigrante, não importa o seu status ou a proficiência na língua. Isso pode desencadear aquela saudades de “casa”, dos amigos e família que ficam no Brasil.

Então, está pronto para cruzar as fronteiras e morar no exterior? A equipe da Webinsider lhe deseja toda a felicidade do mundo.

Lembre-se que você pode pensar também num intercâmbio profissional, se não quiser ficar lá fora pra sempre.

Se você curtiu esse post ou conhece alguém que está preparando as malas para deixar o Brasil, compartilhe com ele (ela) essas informações.

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+