Nesta quinta edição do Podcrer, Michel Lent e Vicente Tardin recebem Luli Radfaher. Seguem os assuntos:

  • Interessante caso onde a internet serve de distribuidora “last mile”: o Escola Brasil produz programas de rádio educativos de alta qualidade e usa a internet para levá-los a todos os pontos do Brasil. Já são quase 3 mil emissoras que baixam os programas em MP3 do site e os transmitem livremente, para a população ouvir no rádio, com muita força no Norte e Nordeste.
  • O crescimento do mercado publicitário brasileiro decepcionou. Foi bem menor do que o do ano passado. A internet cresceu dentro desse bolo, mas não é nada que entusiasme. Mas os dados não contemplam as verbas em links patrocinados.
  • O diretor de criação em tempos de web 2.0 precisa saber tanta coisa que a lista acaba se transformando no perfil de uma pessoa que não existe. Esse profissional está se criando agora e deve entender de tecnologia e comunicação. E o que mais ele precisa ter?

Ouça aqui e comente lá embaixo.

Podcrer # 5

Clique para baixar o arquivo mp3:

.

Assine o RSS para iTunes

Feeds para outros agregadores

Deixe seu recado na secretária eletrônica: (11) 3717-3110 ou clique aqui.

.

.

podcrer.jpg

.

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+

  1. Viviane

    Olá,
    Vicente, Michel e Luli,

    Quero primeiro parabenizar pela iniciativa do podcast. A idéia é maravilhosa! Vi nascer e fico feliz de ser ouvinte assídua 🙂

    Valeu pelo comentário sobre o Escola Brasil. A equipe toda se esforça muito para imprimir qualidade ao programa e assim levar educação, agora também pela internet, para os vários rincões do País.

    Eu como editora do site agradeço em nome de toda a equipe da Escola Brasil.

    Ficamos muito orgulhosos!

    Um grande beijo!

    Viviane Danin
    http://www.escolabrasil.org.br

  2. Marcos Raul

    Tenho que dizer que o profissional ultra super power talvez não exista, mas é possível trabalhar na profissionalização muito próxima disso, ou seja, existe o caso.

    Há alguns perfis (como o meu) que têm que se manter em ambos, infelizmente em caso de crise de identidade é a pior atitude.

    Nâo é facil, mas exige formação desde pequeno, não se torna o the best of, pois é impossível fazer duas coisas ao mesmo tempo, mas é muito possível conseguir tornar-se um profissional multi taks com aptidoes vinculadas ao seu grupo e trabalhando ainda mais, da comunicação a tecnologia, com a administração do tempo, equipe, tecnologia e comunicação.

    asta…

  3. Matheus Dutra Milagre

    Talvez não gostemos muito de filosofar mas teriamos que considerar como a Internet absorveria o universo institucional e corporativo, muito mais do que simplesmente avaliar ou se autoavaliar como o profissional seria.

    Tenho certeza que o futuro do profissional de criação e tecnologia passa pela transcendência a um nível de abstração consciente difícil de ser atingido pela mente ordinária atual, excecivamente mercadológica. Possivelmente surjam Conselheiros(as) como no seriados de Jornada nas Estrelas, mas não para esta geração que navega rumo ao naufrágio planetário.