Novos decodificadores DTS:X e DTS Neural:X

29 de janeiro de 2016

Começou a disponibilização para a instalação de DTS:X nos equipamentos compatíveis. O novo codec promete total compatibilidade com qualquer layout de caixas acústicas previamente instaladas no sistema.

Acabam de ser liberados pelo fabricante do meu A/V receiver, como aliás era previsto, os novos decodificadores para o codec DTS:X, que vem acompanhado de um novo “upmixer”, chamado de DTS Neural:X.

A liberação desta atualização foi prevista para o início do ano de 2016 para o modelo que eu uso e em datas sucessivas para os demais modelos capazes de aceitá-los.

São poucos, por enquanto, os discos Blu-Ray com trilha DTS:X. Para efeito de teste, eu adquiri o do filme Ex Machina, edição Lionsgate, disponível apenas fora do país, lamentavelmente.

Durante o período pré-atualização, o filme foi reproduzido em DTS HD MA 5.1, mas depois do equipamento atualizado a trilha ocupa todos os canais disponíveis no sistema. Não existem layouts privativos para o DTS:X, ou seja, ele toca com o sistema que o usuário tiver, e segundo a DTS, até mesmo com um sistema sem caixas instaladas para Dolby Atmos ou Auro-3D.

Sai DTS Neo:X, entra DTS Neural:X

Até agora, o processo de remixagem (“upmixing”) para trilhas DTS era feito pelo processador com metadados construídos para o DTS Neo:X, que poderia ser usado por qualquer trilha DTS.

Após a atualização o DTS Neo:X não está mais ativo. Em seu lugar a remixagem é agora operada pelo algoritmo DTS Neural:X, bem mais avançado. Com a entrada deste último processamento, o Dolby Surround Upmixer (DSU) não mais trabalha com trilhas DTS. Esta, entretanto, é uma prerrogativa do fabricante, em outros aparelhos este recurso poderá não ser desativado.

Modificações nos layouts e alteração da compatibilidade entre codecs 3D

O que era previamente conhecido era que o Auro-3D e o Dolby Atmos compartilhavam as caixas Height frontais esquerda e direita, mas diferiam na parte traseira da sala, o Auro-3D usando caixas Height no surround lateral e o Atmos caixas Height em cima das surround back.

Não faz muito tempo, eu entrei em contato com o fabricante e fiz uma crítica, afirmando que esta diferença complicava tudo desnecessariamente. Creio não ter sido o único a fazer esta observação, porque o novo software admite agora o uso de caixas Height traseiras (“Rear Height”) usadas para o Atmos e para o Auro-3D. Notem que o Auro-3D não usa caixas no teto no formato quadrangular superior, mas apenas um único canal na parte frontal, e ele é opcional. Desta forma, a única opção para compatibilizar ambos seria que os dois codecs usassem a mesma configuração de caixas Height, obrigatórias para o Auro-3D. A minha experiência com Atmos na configuração 5.1.4 tem sido bastante satisfatória, e presumo ser a mesma coisa com o Auro-3D. A propósito do Auro, o custo de instalação é elevado, com praticamente nenhum material em Blu-Ray com filmes disponíveis (eu não vi nada até agora), apenas música. Talvez esta iniciativa de compatibilizar instalações seja uma maneira de estimular o usuário a aderir ao Auro.

A atualização

A atualização para o meu equipamento em uso, o A/V receiver Denon modelo AVR-X7200WA, levou 59 excruciantes minutos, período no qual a gente reza e cruza os dedos para não faltar luz.

O processo é realizado exclusivamente on-line, e aí eu não saberia dizer como é que isso seria resolvido sem uma conexão com a Internet, pois no site o manual de instalação não faz qualquer menção a este respeito. O ideal seria existir uma opção “off-line”, através de um drive USB, de maneira a atender aqueles que ou não tem acesso à rede ou a conexão é lenta, como é, infelizmente, a realidade em muitas regiões deste país.

A disponibilidade da atualização ocorreu no dia previsto (28/01/2016). Ao ligar o equipamento, com o aviso de atualização ativado, a tela inicial mostra a disponibilidade do novo software, com opções para instalação naquele momento, mais tarde ou para quando o aparelho entrar novamente em standby. Existe ainda uma terceira opção, para simplesmente ignorar a atualização.

Após o download do firmware terminar o receiver entra em standby novamente. O display mostra o progresso da atualização:

image001

 

São atualizados neste aparelho 4 processadores DSP e a interface gráfica com o usuário (GUI), além do software principal, Ethernet e outros detalhes.

Uma vez terminado tudo, o receiver religa automaticamente. Nenhum dos ajustes previamente feitos foi alterado, o que nos propicia poupar um bocado de tempo calibrando tudo outra vez.

Colocando o filme Ex Machina em teste, o display confirma a identificação do codec e o modo de reprodução:

image003

 

Eu deixei para depois fazer testes com o DTS Neural:X. Uma vez confirmado que o layout Atmos funciona sem problema para o DTS:X o usuário se poupa de modificar qualquer coisa. A imagem acima mostra o layout atual de 5.1.4. Eu entendo que o ideal seria 7.1.4, para qualquer um dos codecs 3D, e para tal estou em vias de adicionar um amplificador externo.

Não tenho, por outro lado, coragem para sugerir ao leitor que faça isso também. O custo de um som 3D é para o momento, muito elevado. O único componente que não precisa ser trocado é o player para Blu-Ray, o resto obriga o gasto de uma pequena fortuna, com apelo apenas, a meu ver, para aficionados e cinéfilos.

Se o usuário não quiser se aventurar a tamanha empreitada, e assim mesmo instalar um sistema 3D, ele poderá fazê-lo com um layout de caixas 5.1.2 ou 5.0.2, com apenas duas caixas para reprodução elevada. A DTS afirma categoricamente que o DTS:X funcionará até com sistemas 5.1, mas eu sou um que não tenho intenção de verificar se isto é verdade ou conversa jogada fora. [Webinsider]

Leia também:

Avalie este artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

2 respostas para “Novos decodificadores DTS:X e DTS Neural:X”

  1. Oi, Jorge,

    Não, o display está indicando que o equipamento está decodificando Dolby Digital com upmixing DTS Neural:X.

    Tente reproduzir uma fonte Dolby Atmos que você conheça, ou se não tiver nenhum Blu-Ray com ela, eu sugiro baixar um dos clipes deste site: http://www.demo-world.eu/2d-demo-trailers-hd/ e depois copie para um drive USB, para reproduzir no seu player de mesa. Com isso, o display deverá indicar Dolby Atmos somente.

    Em todos os Blu-Ray que eu conheço o Dolby Atmos vem junto com o Dolby TrueHD. Se o equipamento decodificador não for capacitado para Dolby Atmos ele reproduzirá esta última.

    O estranho no seu caso é o receiver escolher DTS Neural:X para Dolby Digital, quando deveria escolher Dolby Surround. Todos estes upmixers ou a ausência deles na decodificação dos codecs em tese é configurável, mas você deve consultar o manual do receiver para saber se é possível e como fazer isso. Note que não há mal nenhum em usar outro upmixer para um codec que não lhe pertence. Se você gosta do resultado, deixe o assunto para lá e continue a desfrutar o seu receiver.

  2. Jorge Oliveira disse:

    Paulo me tire uma duvida: Comprei um Denon avr x1300, ao atualizar o firmware, não apareceu o dolby atmos, e sim dolby+dts neural x. Isso é o memo que o dolby atmo? Desde já agradeço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *