Anunciar no Google Adwords ou no Facebook Ads?

Nova Escola de Marketing
29 de agosto de 2016

São canais complementares e dominam os os investimentos hoje. Entenda as diferenças e veja como montar uma estratégia para anunciar no Google e no Facebook.

Aninciar no Google ou no Facebook, o que é melhor?Então você quer divulgar seus produtos na internet mas está em dúvida se deve anunciar no Google ou no Facebook, certo? É uma dúvida bem comum.

Muitos gerentes de marketing e empreendedores têm esta mesma dúvida: qual das duas plataformas é melhor para anunciar?

Na verdade, as duas são necessárias para uma boa campanha. São complementares e vamos ver as diferenças entre elas.

Anunciar no Google ou no Facebook?

O seu plano de mídia deve contemplar tanto o Google Adwords como o Facebook Ads, mas é preciso entender a melhor aplicação e o melhor método de publicidade em cada uma.

(Abrindo um parênteses… consideramos que você já tenha configurado corretamente os códigos de acompanhamento e conversão do Facebook Ads e do Google Adwords.)

Similaridades

Primeiro vamos falar do que as ferramentas têm em comum para depois falar da especialidade de cada uma. Tanto o Facebook Ads como o Google Adwords se aplicam com muita eficiência para fazer remarketing, que é a exibição de anúncios para pessoas que já visitaram uma página específica do seu site ou que entraram no seu e-commerce mas não finalizaram a compra, por exemplo.

A segmentação geográfica das duas aplicações também funciona muito bem. Você pode exibir anúncios
somente para as pessoas que estão fisicamente próximas ao seu negócio, da sua loja física, restaurante, academia, petshop etc.

Nas duas plataformas é possível delimitar também o horário em que os anúncios serão exibidos, além de segmentar por idade, sexo e listas de e-mail que você pode importar para as duas ferramentas. Se o e-mail estiver cadastrado em uma conta Google ou Facebook, os anúncios serão exibidos para aquele usuário.

Há praticamente um empate técnico até aqui. Agora vamos falar do que cada plataforma tem de melhor e como elas conseguem se diferenciar em suas especialidades.

Google Adwords

O forte do Google Adwords são buscas pelas palavras-chave. Há uma frase do Google que diz o seguinte: “Quem precisa de um táxi? As pessoas que estão procurando por táxi. É por isso que os anúncios do Google funcionam”.

O Google ainda tem o YouTube e a rede de display (banners) exibindo anúncios gráficos, mas a busca do Google é imbatível até mesmo diante de outros concorrentes e buscadores como o Bing e o Yahoo.

O Google tem, simplesmente, 95% do mercado de buscas no Brasil.

Quem vai ao Google buscar informações sobre um produto ou serviço já está mais próximo de realizar a compra; logo, o momento de conversão deste cliente está mais próximo de acontecer. Ele está no mínimo curioso sobre o produto ou serviço e está comparando as características do fornecedor A com o fornecedor B.

Facebook Ads

O forte do Facebook Ads é o refinamento do público-alvo, aplicando com muito mais precisão filtros como sexo, idade, formação, profissão e renda (sim, o Facebook sabe quanto seu cliente ganha e você pode criar anúncios para quem realmente pode comprar o seu produto). Comportamento, interesses e afinidade com as páginas que segue e grupos que participa são outros filtros usados.

Estes dados ajudam ao Facebook a entender as características de cada usuário da plataforma e exibir os seus anúncios para um público mais preciso e bem mais alinhado com a oferta que você tem a fazer.

Estratégia sugerida

Se você está iniciando do zero uma lista de clientes ou um funil de vendas e ainda não tem dados suficientes, minha sugestão é: não tente vender para todo mundo ao mesmo tempo. Em primeiro lugar, conheça o seu público alvo. Saiba minimamente quais são as características deste target.

Configure um público-alvo “ideal” no Facebook informando sexo, faixa etária, renda, interesses, cargos, profissão, localização geográfica e o melhor horário para os seus anúncios serem exibidos. Isto é, se a exibição será apenas no horário comercial ou o tempo todo. Aponte este tráfego para uma página específica do seu site — não aponte para a home, mas para a landing page do produto ou serviço que você está anunciando.

Feito isso, crie uma campanha de remarketing no Google para quem visitou esta página específica.

Você também pode configurar uma campanha de remarketing no próprio Facebook para as pessoas que visitaram a página do primeiro anúncio, mas não efetivaram o cadastro ou a compra.

Seja criativo! Use diferentes formas para abordar o seu cliente ou prospect no remarketing, como vídeos, artigos, banners e posts, para oferecer o seu produto até que o cliente efetue a compra. Você pode (e deve) configurar a exibição dos anúncios de remarketing somente para quem ainda não concluiu a compra.

Quando o cliente finaliza a compra, ele é excluído automaticamente da lista de remarketing. Algumas pesquisas de marketing dizem que um consumidor precisa ter entre 10 e 12 encontros com uma marca, produto ou serviço até se decidir pela compra.

Este é apenas um tipo de estratégia. Existem muitas outras. Se você gostou do artigo, dê um “like”, compartilhe ou deixe seu comentário. [Webinsider]

…………………………

Leia também:

Avalie este artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *