Afinal, o que é educação financeira?

Nova Escola de Marketing
16 de julho de 2016

Identifique o seu objetivo (ou sonho) e dê preferência a ele, em vez do consumo impulsivo, compulsivo e inconsciente. Daí você vai para a frente.

Educação financeira: Diagnosticar, Sonhar, Orçar e PouparOlá, leitores do Webinsider! Eu sou Reinaldo Domingos, educador financeiro, e mensalmente estarei aqui para falar com vocês sobre educação financeira e tudo o que abrange o universo financeiro, de maneira descomplicada e relacionando a assuntos de nossa rotina.

Quero começar então falando um pouco mais sobre a educação financeira, que é comumente tratada como uma ciência exata, o que já causa repulsa a muita gente que não é fã de cálculos, planilhas, etc.

Na verdade, o tema se trata de uma ciência humana, pois lida com questões de comportamento. É importante diferenciar para conseguirmos desmistificar e inserir o conhecimento de maneira mais simples nas diversas camadas da sociedade.

Exatamente por isso desenvolvi uma metodologia que se mostrou muito eficaz, com o intuito de auxiliar desde crianças a adultos, de qualquer classe social, a entender um pouco mais sobre finanças, analisar sua própria situação, se reeducar e, em especial, aprender a priorizar a realização de sonhos em vez do consumo impulsivo, compulsivo e inconsciente.

A metodologia se baseia em quatro passos básicos, são eles: Diagnosticar, Sonhar, Orçar e Poupar. Presente em mais de 1500 escolas em todo o país por meio de livros didáticos e paradidáticos, o método já ajudou mais de 1 milhão de famílias a mudarem de vida, saindo da situação de endividados – e até inadimplentes – para realizarem seus objetivos de vida.

Diagnosticar

O primeiro pilar deste processo consiste em fazer um diagnóstico, ou seja, uma análise financeira, como se tirasse uma “fotografia” da situação. A partir daí, é possível identificar exatamente os ganhos e gastos mensais.

Uma orientação é categorizar as despesas (exemplo: combustível, restaurante, vestuário, etc.) para que se possa ter ciência do tipo de gasto e fazer ajustes, caso seja necessário.

Sonhar

Na próxima etapa, o objetivo é incentivar as pessoas a sonharem mais. Pode parecer estranho dizer isso, mas definir objetivos/metas, pesquisando e obtendo o máximo de informação ajuda a ter mais foco e disciplina para gastar menos com supérfluos em prol de algo que agregue mais valor à vida.

Costumo dizer que é interessante estabelecer no mínimo três sonhos: um de curto (até um ano), um de médio (de um a dez anos) e outro de longo prazo (acima de dez anos).

Orçar

O terceiro passo é aprender a realizar um orçamento de maneira correta.

A maioria faz a seguinte conta: Ganhos (-) Gastos = Lucro/Prejuízo, quando, na verdade, o correto é Ganhos (-) Sonhos (-) Gastos, afinal de contas, estamos aprendendo que o grande segredo é priorizar, certo? A vida não é feita para ficar pagando contas, apenas, mas sim para realizar objetivos de vida.

Poupar

O que nos leva à quarta e última etapa: poupar. O diferente no caso dessa metodologia é que não devemos guardar dinheiro por guardar, devemos sempre ter um objetivo atrelado a esse valor que será poupado, não importa qual seja.

Isso porque, quando o dinheiro não é “carimbado”, ele é alvo fácil de gastos aleatórios que acabam com o nosso dinheiro sem nem notarmos.

E então, gostaram desse novo jeito de falar sobre finanças? A princípio pode ser custoso, afinal, estamos falando de mudança de hábitos e costumes. Mas com o tempo percebemos que vale a pena e que com um pouco de planejamento e determinação tudo é possível. Vamos juntos realizar mais sonhos! [Webinsider]

Avalie este artigo:
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *